RF Force estreia com single e vídeo 'Fallen Angel'

A união de forças do heavy metal 'old school' é o princípio do RF Force, projeto idealizado pelo guitarrista Rodrigo Flausino, que estreia com o single e videoclipe "Fallen Angel". "Apesar das iniciais do nome, o RF Force não se trata de um trabalho solo, mas serve como referência para melhor fixação. E, claro, usar a palavra força (Force) tem tudo a ver com o heavy metal e com guitarra, vide 'G-Force' do saudoso Gary Morre ou o clássico 'Rising Force', de Yngwie Malmsteen", explica o guitarrista, conhecido pelos trabalhos com as bandas Hardstuff, Children Of The Beast e, principalmente, por seu canal no YouTube, que conta com mais de 155 mil inscritos. "Escolhemos 'Fallen Angel' como primeiro single porque ela resume bem nosso estilo. A letra foi inspirada por uma mensagem aleatória que recebi de madrugada me alertando que, apesar de não acreditar no Satanás, ele existe (risos). É heavy metal na linha anos 80 com riff cheio de palhetadas, refrão marcante e levada bem pra frente", acrescenta.
 
O grupo paulista, completado por Marcelo Saracino (vocal, Heaven & Hell, Undertime), Daniel Iasbeck (guitarra, Exxótica e Secos & Molhados), Ricardo Flausino (baixo, Hardstuff) e Lucas Emidio (bateria, Hatematter e Scenes From a Dream), traz influências de bandas como Judas Priest, Dio, Iron Maiden e Accept. "Nosso som tem momentos mais power metal ou até alguns meio thrash, mas acredito estar mais enquadrado no heavy metal tradicional. O ouvinte vai perceber influências de Dokken e Helloween, mas acaba indo para um lado mais Dio e Judas Priest. Não tentamos copiar nada, apenas fizemos o que fazemos naturalmente", detalha Rodrigo Flausino.
 
Veja o videoclipe de "Fallen Angel", dirigido por Xtudo Obze, em https://youtu.be/SNjdsd5vrzo

Com temática inspirada por eventos recentes da humanidade e outros temas conhecidos no mundo metal como religião e guerra, o quinteto lançará o álbum de estreia, homônimo, em fevereiro pela gravadora Classic Metal. "Antes do lançamento do álbum nas plataformas de streaming e em formato físico pela Classic Metal, soltaremos outro single e clipe, para a faixa 'The Beast And The Hunter'. Além disso, esperamos poder estrear nos palcos e agendar shows ainda no primeiro semestre", revela o guitarrista
 
Confira o repertório do álbum "RF Force", que teve arte de capa e design a cargo de Quinho Ravelli e foi produzido por Rodrigo Flausino e Daniel Iasbeck, também responsável pela mixagem e masterização:
 
1- Fallen Angel
2- Old School Metal
3- Flying Dogs
4- The Beast and The Hunter
5- Creeps Of The World
6- In The Heart And Mind
7- Fighter
8- Will You Remember?
9- Beyond Life And Death
10- M.O.A.B.
 
Instagram: https://www.instagram.com/rf_force/
 
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Site relacionado: https://loja.classicmetal.com.br/

Imprensa - ASE Music:
http://www.asepress.com.br/music/
 
www.instagram.com/ase_press/
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

The Troops of Doom: parceria com Henrique Fogaça (Oitão) em cover dos Titãs

O The Troops of Doom uniu forças com o vocalista Henrique Fogaça (Oitão) para a gravação de uma versão pesada e extrema de "Lugar Nenhum", um dos clássicos dos Titãs, originalmente registrado no álbum "Jesus Não Tem Dentes no País dos Banguelas" (1987). "A gravação deste cover não tem relação com o nosso full, que estamos preparando para este ano. A ideia foi exatamente pensar fora da curva. Então, aproveitando esse nosso respeito pela história do Titãs, aliado com a vontade de fazer um barulho junto com nosso amigo Fogaça, nos juntamos no grande Tellus Studio, no Rio de Janeiro, para gravar essa versão de 'Lugar Nenhum' com uma roupagem mais pesada, nos moldes do metal / hardcore", explicou o guitarrista Jairo "Tormentor Guedz". "A ideia foi exatamente fazer algo que estivesse mais fora de esquadro do material que produzimos com o The Troops of Doom normalmente e a experiência foi fantástica", acrescentou o guitarrista Marcelo Vasco.

Confira o videoclipe da versão de "Lugar Nenhum" (Titãs) em https://youtu.be/-RDW6Xk3gQg

O single foi gravado, mixado e masterizado por Caio Mendonça no Tellus Studio, de Felipe Borges, um dos responsáveis por ajudar a concretizar a parceria. "O Tellus Studio dispõe de um equipamento de ponta dificilmente visto em outros estúdios brasileiros. Eles têm praticamente tudo e é 100% analógico, com exceção da captura através do Protools, então o resultado que alcançamos foi extremamente orgânico", analisou o baterista Alexandre Oliveira. "Foram dois dias intensos de gravações e, paralelamente a isso, um vídeo também foi produzido pelo Tellus Studio e pretendemos disponibilizar o que capta os bastidores das gravações", revelou o vocalista e baixista Alex Kafer.

Henrique Fogaça, que além de vocalista do Oitão, é empresário, chef de cozinha e um dos jurados do MasterChef (Band), comentou sobre a parceria e a escolha pela música dos Titãs. "Jairo entrou em contato e me convidou para este projeto, pedindo que selecionasse alguma música para fazermos um cover. Poderia ser de death metal, hardcore ou metal, mas que fosse transcrever na afinação que o Troops of Doom toca", contou. "Comecei a passar algumas bandas, como Lobotomia, Tropa Suicida e outras para analisarmos. No final, cheguei nos Titãs, que tem uma vertente grande dentro do rock mas não tem um estilo definido. Escolhi a 'Lugar Nenhum' pois, apesar de mais antiga, tem uma letra bem atual nesse mundo polarizado que a gente vive, de tanta segregação. É um tema pertinente que combinou para este cover e para homenagear uma banda representativa, influente e com tanta história no universo do rock brasileiro", acrescentou.

Sobre a gravação, Fogaça contou que ele e a banda se reuniram no Tellus Studio, onde o The Troops of Doom estava ensaiando antes da realização do primeiro show de sua história, ocorrido em 11 de dezembro no "Over Metal Fest", no Fabrique Club (SP). "Eles gravaram a versão mais na linha death metal e me mandaram a guia. Ouvi algumas vezes e aí fui para Niterói para a gente fazer a gravação no estúdio, onde eles estavam ensaiando para o primeiro show", detalhou. "Estou feliz e honrado em poder participar desse cover de uma banda tão emblemática como os Titãs e juntamente com o Jairo, que é um dos pioneiros do grande metal raiz do Brasil com o Sepultura. Outro ponto importante é que vamos doar para alguma instituição tudo que por ventura for financeiramente arrecadado nos créditos em cima desta versão", concluiu.

Ouças nas plataformas de streaming: https://bfan.link/lugar-nenhum

Contato:
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Site relacionado e loja online:
www.thetroopsofdoom.com

Face | Insta: @thetroopsofdoom
Youtube: https://youtube.com/thetroopsofdoom

Booking/Management: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. | Whatsapp: +55 21 998581699, c/ Rodrigo Scelza

Imprensa - ASE Music:
http://www.asepress.com.br/music/
 
www.instagram.com/ase_press/
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Peixes Voadores: banda de stoner/doom apresenta clipe 'Virtual Minds'

A banda de stoner/doom Peixes Voadores, formada por Daron (vocal), Betão (guitarra), Farinha (baixo) e Elvis (bateria), segue promovendo o álbum "Altered States" e apresenta agora o videoclipe para a faixa "Virtual Minds", que fala sobre os efeitos da tecnologia no comportamento da humanidade. "Hoje há uma busca muito grande por números e o coração das pessoas está ficando cada vez mais vazio. Há uma substituição da mente humana por uma virtual", comentou o vocalista Daron.
 
Confira o videoclipe de "Virtual Minds" em https://youtu.be/Hc47E7QFWY4
 


Além de "Virtual Minds", o mais recente álbum já conta com quatro vídeos lançados: "Trouble Inside", "High on The Road", "Flying High" e "Eyes in The Sky", cujo vídeo traz com a presença do humorista e influencer digital Dianho. "Musicalmente, 'Eyes in The Sky' tem uma pegada mais Sepultura. É um grito de protesto contra todo tipo de repressão de pensamento, invasão de privacidade, ódio e violência. Mais do que isso, é uma mensagem sobre a indignação da banda com a cultura do empobrecimento intelectual e a indução à futilidade. Além disso, é uma afirmação de não conformidade e de repúdio a quem acha que pode impor sua vontade sobre os demais", pontuou o baterista Elvis. "Já a faixa de abertura, 'Trouble Inside', fala sobre um sujeito que vive em seu vazio existencial, em um mundo onde os cegos estão no controle, fazendo com que a sociedade viva em uma redoma artificial. E ele sofre muito com isso, se sentindo ameaçado pela realidade. Com instrumental 'sábatico', a banda teve também muita influência de Uncle Acid and the Dead Beats para compor esse som", observou o baixista Farinha.
 
- História -
Criada em 2010, na pequena cidade de Tuparendi (RS), fronteira com a Argentina, a Peixes Voadores conta com três discos lançados, sendo o mais recente, "Altered States" (2021), composto em inglês e os dois primeiros, "Peixes Voadores" (2012), "Lavagem Cerebral" (2016), em português. Daron (vocal), Betão (guitarra), Farinha (baixo) e Elvis (bateria) já se apresentaram nos maiores palcos do Sul, incluindo o Bar Opinião e Pepsi On Stage, e também dividiram o palco com grandes ícones, como Sepultura, Misfits, Marky Ramone, Capital Inicial, entre outros. "Assim que a pandemia der uma trégua, pegaremos a estrada para lançar nosso festival independente, 'Peixes Voadores Fest', qual iremos divulgar o álbum 'Altered States'", concluiu o guitarrista Betão.
 
O álbum "Altered States" teve Conra Rüther como engenheiro de som, e a captação pelo estúdio Áudio Porto em Porto Alegre (RS). Ouça no Spotify em https://tinyurl.com/3dy6snvf

Sites relacionados:
Facebook: https://www.facebook.com/peixesvoadores
Instagram: https://www.instagram.com/peixes_voadores/
Youtube: https://www.youtube.com/peixesvoadores
 
Link para compra online/download pago: https://peixesvoadores.bandcamp.com/album/altered-states
 
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.




Imprensa - ASE Music:
http://www.asepress.com.br/music/
 
www.instagram.com/ase_press/
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Cosmic Rover: segundo álbum do power trio surpreende a mídia

O power trio paulistano Cosmic Rover, formado por Edson Graseffi (vocal e bateria, Motorhammer e ex-Panzer), Xande Saraiva (guitarra, Baranga) e Rodrigo Felix (baixo) vem surpreendendo a mídia com "HEAVY", sucessor do álbum de estreia, "Spitting Fire" (2019). "Estamos muito contentes com a resposta da mídia e público ao nosso novo álbum. Eu sempre apostei em uma sonoridade verdadeira, sem artifícios de estúdio e mil edições no pro tools. Acredito que essa sonoridade orgânica do 'HEAVY', aliada com as composições, sejam responsáveis pela resposta tão positiva", comentou o vocalista e baterista Edson Graseffi.

Ouça o álbum "HEAVY", produzido por Henrique Baboom Canale e que está disponível em todas as plataformas de streaming pelo selo Abraxas em https://www.youtube.com/watch?v=29PJY16yVXg&list=OLAK5uy_mXTFDRiqxtM1B9Dd-oSzGQ1e5lCF2ohyA

Confira o que a mídia vem comentando acerca de "HEAVY":
 
"Selvagem como o ronco de um muscle car, o Cosmic Rover derrama um blend flamejante e lisérgico de stoner, heavy e rock. Respingando ares de Sabbath e Motörhead, 'HEAVY' é direto e old school. É som para rockers com alma de bandoleiro" - Leandro Nogueira Coppi (Roadie Crew)
 
"O álbum literalmente me levou ao Heavy Rock dos anos 70, mixado com toda a vibe e adrenalina dos anos 80 em pleno século 21! Excelente Power Trio!" - Walcir Chalas (Woodstock Discos)
 
"Autêntico e robusto! Em sua mais nova e pesada obra, o Cosmic Rover traz uma fórmula mais quente e orgânica, caminhando livremente em suas influências do Hard n' Heavy" - Leandro Isoppo (Alma Hard)
 
"Um agradável mix de heavy tradicional old school com hard rock mais 'badass' que podemos imaginar. Sem dúvidas, é uma injeção de adrenalina com muito groove e peso" - Gustavo Queiroz (Detector de Metal)
 
"Power trio poderoso com grandes doses de heavy metal, stoner, southern e hard com o espírito dos anos 70!" - Renato Menez (Stay Rock Brazil)
 
"Se você é qualquer tipo de fã de stoner rock e metal, Cosmic Rover é a banda com magnetismo entre os músicos, groove, a vibe altíssima. Tomados como tal, os caras da Cosmic Rover são os mestres em seu ofício. Dão o recado com profissionalismo e perfeição" - Isaura La Cour (Metal Messiah Radio USA)
 
"Depois do ótimo Spitting Fire, o Cosmic Rover chega com Heavy, onde encontramos uma sonoridade poderosa: o rock em seu estado mais puro. Uma viagem no tempo, que nos lança na época em que ouvíamos os antigos álbuns de rock pesado. A nova formação mostra a banda em sua melhor forma. Vida longa ao Cosmic Rover!" - Gegê Andrade (Revista Freak)
 
"Pela pegada e pelo som encorpado que sai dos alto-falantes, a impressão que se tem é que 'HEAVY' foi gravado na década de 70 e só agora foi lançado... E não soa datado! Além disso, é viciante como os álbuns de 50 anos atrás!" - Julio Marcondes (Rádio Shock Box)
 
"‘Heavy’ chuta a porta de 2022 com musicalidade e peso dos grandes trios do Rock" - Claudio Borges (Canal Resenhando)
 
"Gosta de rock bem feito? Com sangue nos "zóio"? Daquele que você acha que foi feito por banda gringa? Então prestigie essa banda porque não vai se arrepender. Som de macho, sem nutellice. Simples assim" - Paulinho Heavy (Programa RMH)
 
"Uma das bandas mais interessantes da cena atual... 'HEAVY' é um álbum sensacional" - Metaljukebox (Portugal)
 
"É grandioso, com produção primorosa, vai agradar os fãs de Heavy Metal, Stoner, Southern e Hard Rock" - Nerdbanger
 
"O novo álbum do Cosmic Rover traz um som 'old school' da melhor qualidade. Impossível não voltar aos anos 70 e às raízes do rock inglês e americano!" - Marcelo Stefanoni (Dark Radio)
 
"É um registro tão legal que até parece que dura menos que 29 minutos..." - Um Metal por dia
 
"Agressivo e pesado, este trampo encerra 2021 com chave de ouro, Ouça!" - Violent Noise Blog
 
"Um disco que você ouve diversas vezes, um disco que não enjoa...." - Canal João Messias Jr.

Cosmic Rover:
Edson Graseffi (vocal e bateria)
Xande Saraiva (guitarra)
Rodrigo Felix (baixo)

Discografia:
"Cosmic Rover" (EP, 2018)
"Cosmic Sessions..." (ao vivo, 2018)
"Spitting Fire" (CD, 2019)
"HEAVY" (CD, 2021)

Confira "HEAVY" nas plataformas de streaming em https://onerpm.link/CosmicRover_Heavy

Contatos:
Instagram: @cosmicrover
Facebook: facebook.com/cosmicrovermusic/
BandCamp: https://cosmicrover.bandcamp.com/releases
YouTube: https://tinyurl.com/syaxrsnr

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.


Imprensa - ASE Music:
http://www.asepress.com.br/music/
 
www.instagram.com/ase_press/
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

 

Eskröta apresenta novo EP com temática voltada ao universo do terror/horror

Após o álbum "Cenas Brutais" (2021), o trio de crossover/thrash metal Eskröta, que conta com Yasmin Amaral (vocal e guitarra), Tamyris Leopoldo (baixo e backing vocals) e Jhon França (bateria), apresenta o novo EP, "T3RROR", já disponível nas plataformas de streaming e na versão física por meio dos selos Marquee Records e Voice Music. O material, produzido pela banda e Daniel Pacheco, com coprodução das vozes e bateria a cargo de Diego Rocha, conta com uma temática voltada ao universo do terror/horror. "'Filha do Satanás', uma das faixas de 'Cenas Brutais', que teve participação do vocalista Hugo Golon (Cemitério), fala sobre o filme 'Carrie, a Estranha' (1976). Como o público gostou muito da nossa composição nessa temática, decidimos entregar mais músicas sobre este universo do terror/horror, mesmo porque também somos muito fãs de filmes e álbuns de terror. Afinal, o heavy metal mesmo começou com Black Sabbath, banda que teve seu nome extraído por um filme do gênero e, ano passado, tivemos o lançamento do documentário 'The History of Metal and Horror', de Mike Schiff", explicou Yasmin Amaral.

Ouça a faixa "Mate ou Morra (Mulheres no Terror)" em https://youtu.be/4xP12grTYB0
 


O EP se inicia com a introdução "T3RROR", que precede "Não entre em Pânico". "Elas são quase que uma música só e lançaremos um videoclipe unindo-as. A faixa tem a participação especial de Daniel Pacheco, vocalista do Vomit Bag Squad, que também fala somente sobre filmes de terror. Neste caso, a letra é sobre o filme 'Pânico' (1996), um dos nossos favoritos", revelou a vocalista e guitarrista.
 
Já a faixa "Exorcist in the Pit" conta com a participação de Lawrence Mackrory (F.K.Ü) e fala do clássico "O Exorcista" (1973). "A letra conta um pouco sobre a história do filme, mas de uma forma mais dinâmica e divertida. É a única em inglês e traz a participação especial de Lawrence, que fez parte da nossa inspiração no processo de composição", detalhou o baterista Jhon França.
 
A gravação da guitarra e baixo foi feita no Necronomicon Estúdio, enquanto a dos vocais e da bateria ocorreu no Bay Area Estúdios, com mixagem a cargo de Daniel Pacheco e Jhon França (Necronomicon Estúdio) e masterização de Martín Furia (Destruction, BARK). Já a arte de capa foi feita pelo ilustrador e designer Lucas Bittencourt (Evilcult).
 
Outro filme abordado é o clássico "Psicose" (1960), dirigido por Alfred Hitchcock. "Esta foi a primeira música que compusemos para o EP e tem riffs bastante pesados. Esse é um dos meus filmes favoritos e por isso ele não poderia ter ficado de fora", comentou Yasmin Amaral.
 
O filme "Halloween - A Noite do Terror" (1978), dirigido por John Carpenter, é o tema da quinta faixa do EP. "'Maldade Encarnada' tem um refrão bem marcante e nosso objetivo na letra foi falar sob a perspectiva que enaltece a 'final girl' de 'Halloween - A Noite do Terror', Laurie, interpretada pela maravilhosa Jamie Lee Curtis", destacou a baixista Tamyris Leopoldo. "Ainda sobre o aspecto da 'final girl', a faixa 'Mate ou Morra (Mulheres no Terror)' fala um pouco sobre a jornada da donzela em perigo nos filmes de terror e como são mulheres fortes e que dominam o gênero. O filme 'O Exorcista' não existiria sem a Linda Blair e assim por diante. Tem uma referência também ao movimento Riot grrrl na letra e ela fecha o EP com a mensagem: 'As mulheres tomam conta do terror'", concluiu Yasmin Amaral.
 
Ouça "T3RROR" nas plataformas de streaming em https://songwhip.com/eskrota/t3rror
 
Spotify: https://tinyurl.com/2s6vwu96

Mídias sociais:
https://www.facebook.com/eskrota
https://www.instagram.com/eskrotacs/
 
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.



Imprensa - ASE Music:
http://www.asepress.com.br/music/
 
www.instagram.com/ase_press/
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

The Mist lança novo single e disponibiliza EP 'The Circle of the Crow'

Depois de quase 30 anos sem lançar material novo, o grupo mineiro The Mist lança nas plataformas de streaming o novo EP, "The Circle of the Crow", gravado no estúdio Maçonaria do Áudio, tendo Alan Wallace (Eminence) como produtor. Vladimir Korg (vocal), Edu Megale (guitarra) e Wesley Ribeiro (baixo) contaram com a presença de Riccardo Linassi na bateria. Segundo Korg, o EP, que também está disponível em versão física, servirá como uma passagem para a composição do novo álbum full. "Eu trouxe a banda para os palcos depois de quase 30 anos e ela se firmou com a promessa de lançar um álbum novo. O EP vai fazer essa transição até termos um álbum inteiro", declarou o vocalista Vladimir Korg.
 
Ouça "The Tempest", quarto single do EP, em https://youtu.be/A0jTdgi9Eu0

"O EP passa muito pelo que é o último single, 'The Tempest', algo bem Shakespeariano. Eu já tinha feito algumas coisas focadas em Shakespeare no Unabomber Files, mas este single só tem o título mesmo. Porém, a ligação existe, já que passamos por esta tempestade tumultuada, perdemos dois membros durante a pandemia e tínhamos a responsabilidade de lançar músicas para honrar o nome do The Mist. Falo muito sobre a tempestade que todo mundo passa na vida e a humanidade está passando por uma grande com a pandemia, que nos privou de forças básicas, corrompeu nossas inter-relações humanas nos isolando. Por mais que para muitas pessoas isto pode de alguma forma ser positivo, não é. O homem precisa se reconhecer no outro para conhecer a si próprio", pontuou Korg. "Sobre o EP, nós focamos muito nas composições e foi um trabalho árduo. Não poderíamos lançar um trabalho qualquer, pois tudo teria que honrar o nosso nome, seja a parte gráfica, as composições e, claro, a mensagem. Mesmo com a pandemia que nos parou e a dificuldade de compor à distância, nos erguemos", completou.
 
O produtor e músico Alan Wallace comentou sobre trabalhar com o The Mist. "Foi uma honra fazer a produção do novo trabalho. Por sinal, o meu primeiro show como músico foi uma abertura para o The Mist em 1990, em Belo Horizonte. Este trabalho mostra a nova fase do The Mist e nunca iria imaginar que poderia contribuir com eles de alguma forma", revelou.
 
Repertório - "The Circle of the Crow":
"My Inner Monster"
"Over my Dead Body"
"The Blackmail of God"
"The Tempest"
 
Ouça no Spotify:
https://open.spotify.com/album/48ZCNL189s934cBSmODd0A?si=19-wHPoTTIqn--FAqVE9oA
 


História:
Surgido em 1988 pelos remanescentes da banda Mayhem e contando com o ex-Chakal, Vladimir Korg, o The Mist estreou no ano seguinte com o álbum "Phantasmagoria", ganhando notoriedade por apostar em um som baseado no thrash metal convencional com o heavy metal. Em 1991, o agora quarteto gravou o considerado clássico da banda, o conceitual "The Hangman Tree", que marcou a estreia do guitarrista Jairo Guedz (atual The Troops of Doom e ex-Sepultura) e revelou Cello Dias como um compositor diferenciado. A aposta em climas soturnos e letras alegóricas e poéticas, flertando com o cinema e clássicos da literatura, como O Mágico de Oz e Peter Pan e a Terra do Nunca, se mostrou acertada.
 
Com uma nova alteração na formação, após a saída de Vladimir Korg, a banda mineira experimentou no metal industrial com "...Ashes to Ashes, Dust to Dust..." (EP, 1993). À época, o The Mist realizou alguns shows como trio, tendo Cello Dias no baixo e vocal, Jairo Guedz na guitarra e Chris Salles na bateria. Porém, para o álbum "Gottverlassen" (1995) foi recrutado Cassiano Gobbet, que entrou no posto de Cello Dias, que saiu para se juntar ao Soulfly, de Max Cavalera. Além disso, ocorreu a entrada do guitarrista Fabio Audrey para alguns shows. A banda, então, decidiu encerar as atividades e retornou em 2018, quando Vladimir Korg reativou o The Mist com Chris Sallles e Jairo Guedz na guitarra. Wesley Ribeiro, baixista do Hellspunch, se juntou para a "The Scarecrow Tour", que trouxe os clássicos da banda no repertório dos shows. Apesar de realizar uma excursão bem sucedida, a banda perdeu Jairo Guedz, que criou o The Troops of Doom em 2020, e Chris Salles, que saiu por motivos particulares.

Merch
O The Mist preparou em sua loja online um combo para a venda, contendo camiseta do EP The Circle of the Crow + Café Arábica The Mist + CD "The Circle of the Crow". O valor promocional do combo é R$ 100,00.  Para adquirir, acesse: https://fogyoumerch.lojaintegrada.com.br/combo.

Discografia:
Phantasmagoria (1989)
The Hangman Tree (1991)
...Ashes to Ashes, Dust to Dust... (EP, 1993)
Gottverlassen (1995)
The Circle of the Crow (EP, 2022)

Contatos:
Plataformas de streaming: https://linktr.ee/themistband
Instagram: www.instagram.com/themistband

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Imprensa - ASE Music:
http://www.asepress.com.br/music/
 
www.instagram.com/ase_press/
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

First Fear estreia com single e lyric video 'Lord of the Storm'

O baixista Breno Pessoa, que teve passagens por grupos como Nemesis, que originou o Heaven's Guardian, e Escola Alemã, primeira banda de War Metal de Goiás, se uniu ao guitarrista Cláudio Bezerra, também ex-Escola Alemã, para por em prática um antigo sonho: lançar material autoral como First Fear. "Este nome me acompanha desde o final da década de 90, pois tentei montar algumas vezes uma banda com esse nome, mas nunca deu certo. Com o tempo, outros projetos e bandas apareceram, ficando engavetado esse nome", conta o baixista. "Quando a pandemia chegou, resolvi voltar a estudar contrabaixo no final de junho de 2020 com Bruno Ladislau, que conheci pessoalmente quando ele tocou em Goiânia com a banda solo do saudoso Andre Matos. Numa das conversas com Ladislau, comentei sobre uma música que Cláudio Bezerra e eu estávamos compondo. Para minha surpresa, Ladislau demonstrou interesse em ouvir e gostou a ponto de perguntar se eu não tinha interesse que ele produzisse a música. Assim nasceu, de fato, após várias tentativas, o projeto First Fear", acrescenta.
 
Segundo Pessoa, a princípio, First Fear é um projeto virtual que tem como único interesse a realização pessoal de fazer música autoral. "A ideia é a de uma realização pessoal e, se possível, ter participações de músicos que admiramos. O conceito, pelo nome, também se baseia em abordar medos e inseguranças do ser humano de forma sempre positiva, tentando sair do clichê do lirismo que comumente vemos no heavy metal e suas vertentes", revela o baixista. "O primeiro grande nome que topou participar e apostou gravar com os dois ilustres desconhecidos foi Mario Pastore, um dos maiores vocalistas do gênero e que possui uma longa trajetória na cena musical", completa.
 
O primeiro single, "Lord of Storm", está disponível e também foi lançado em lyric video, criado pelo vocalista Nuno Monteiro (Liar Symphony, Electric Funeral). Confira em https://youtu.be/WYpYr5IxUHs

"A letra de 'Lord of the Storm' aborda sobre o tema depressão e as consequências desse medo. Tentei abordar isso de maneira positiva, sob o prisma de que a pessoa, se confiar, ter fé e acreditar que as coisas mudam. É basicamente uma questão de fé pura e simples mesmo, sem abordar necessariamente de forma explícita qualquer religião", explica Breno Pessoa.
 
O logo e o símbolo (monograma) do First Fear foram criados por Carlos Fides, artista de renome internacional e que trabalhou para Shaman, Noturnall, Edu Falaschi, Almah, Kamelot, Evergrey, FlowerLeaf, Alchemia, Narnia, Kryour e outros. "Pedi ao conceituado artista de Brasília, Carlos Fides, que o conceito fugisse do estereótipo de logotipos de bandas de metal. Como o nome da banda remete ao 'primeiro medo', queria que remetesse a uma escrita antiga, 'ancestral' e até meio mística. Então, ele criou o logotipo baseado na primeira escrita já encontrada da humanidade, a cuneiforme", detalha o baixista. "A intenção é lançarmos um single por vez até termos músicas suficientes para um EP ou até mesmo um álbum. Vamos trabalhar na próxima música com o produtor e baixista Bruno Ladislau ainda em janeiro. Além disso, ainda para o 'Lord of the Storm', temos planos de lançar playthrough de baixo e guitarra e gravar um vídeo comigo, o Cláudio e o Mario Pastore executando a música ao vivo; quem sabe até mesmo com um baterista convidado", conclui.
 
Ouça no Spotify: https://tinyurl.com/236b7rzd
 
Contatos:
Instagram: @firstfearband
Facebook: https://www.facebook.com/firstfear
 
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Imprensa - ASE Music:
http://www.asepress.com.br/music/
 
www.instagram.com/ase_press/
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Inventtor e Old Audrey's Funeral: bandas mineiras lançam Split CD

As bandas de Belo Horizonte (MG) Old Audrey's Funeral (heavy/doom metal) e Inventtor (death/doom metal) se uniram ao selo Fallenin77.co para o lançamento de um Split-CD (jewel case/clear tray), com livreto de 12 páginas, que traz dois singles de cada grupo lançados em 2021.
 
O Inventtor apresenta os singles "Ventos Úmidos de Sangue" e "Medo em Seu Rosto", que contaram com produção a cargo de Alan Wallace (Eminence, No Life on Earth) e Andre Carvalho (Paradise in Flames). Embora atuando como um duo, Gleydson Vitalino (vocal e baixo) e Alan Souza (bateria e backing vocals) contaram com a presença do guitarrista Denis Augsanbri e do produtor e guitarrista Alan Wallace. "É uma característica da banda escrever sobre contos fictícios e sentimentos de pessoas que passaram por situações extremas ou adversas. No caso de 'Ventos Úmidos de Sangue', tentamos expressar em palavras qual seria o sentimento de um guerreiro tripulante de uma grande embarcação de combate prestes a desembarcar em terra firme e sem ideia do que virá pela frente", detalhou o baterista Alan Souza. "Já em 'Medo Em Seu Rosto' seguimos a linha de abordar sentimentos adversos e situações difíceis. Gostamos do lado sombrio do heavy metal e usamos isso para expressar a nossa forma de ver o comportamento das pessoas. Por sinal, o medo é o sentimento mais comum na situação pandêmica que vivemos", acrescentou.
 
Veja o clipe do Inventtor para "Medo Em Seu Rosto", produzido e dirigido por Davidson Mainart, em https://youtu.be/RZmY6O_aCL0

Já o Old Audrey's Funeral, formado por Elvis Dias (vocal), Renato Audrey e Elimar Rezende (guitarras), Tony Lessa (baixo) e Carlos Coelho (bateria), que pratica um som pesado e com influências do metal obscuro dos anos 70 e 80, apresenta "The Plague Within" e "Eternal Nights (The Witch)", produzidas por André "Damien" Carvalho (Paradise in Flames) no Estúdio Maçonaria do Áudio (MG). Sobre "The Plague Within", composta por Renato Audrey e arranjada pelo Old Audrey's Funeral, Tony Lessa explica que ela narra o sofrimento e o desespero do Faraó Ramses II. "Incrédulo, Ramses II assiste o seu poder ser dizimado através das maldições infligidas ao seu reino, levando os seus súditos à morte e, posteriormente, ao êxodo em busca de uma terra prometida pelo novo ardil religioso que orquestrou essa troca de poder milenar".
 
A letra escrita por Tony Lessa e Carlos Coelho para a música "Eternal Nights (The Witch)", composta por Elimar "Trolha" Rezende, versa sobre os medos noturnos representados por uma bruxa, que aparece às noites para atormentar o sono do personagem que, no caso, é o baterista Carlos Coelho. "Uma bruxa impiedosa dilacera Carlos Coelho durante o sono por noites infindáveis e dolorosas. Sedenta de sangue, a bruxa das noites eternas se alimenta do seu medo, invadindo a sua alma com seus olhos vermelhos, trazendo sensações horríveis e infligindo dores insuportáveis à sua alma já consumida pelo terror", conclui Tony Lessa.
 
Confira o videoclipe de "Eternal Nights (The Witch)" do Old Audrey's Funeral em https://youtu.be/M2hQTZ3ulk8


 
Para adquirir o Split-CD, acesse: https://bit.ly/Fallenin77Co_CD_DOTLD
 
Sites relacionados:
https://linktr.ee/inventtorband
https://linktr.ee/oafuneralofficial

Inventtor

Inventtor

 

Old Audrey's Funeral

Old Audrey's Funeral


Imprensa - ASE Music:
http://www.asepress.com.br/music/
 
www.instagram.com/ase_press/
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Black Priest lança EP 'The Soul Scar' e clipe para 'Cult of Sins'

Ao mudar de foco de banda tributo para autoral, o grupo a niteroiense de heavy metal Black Priest, formado pelo vocalista Vinicius Libânia (The Priest), os guitarristas Júlio Xavier (The Rebel) e Raphael Ribeiro (The Spectre), o baixista Gg Neto (The Evil) e o baterista Phil Drigues (The Healer), apresenta o EP de estreia, "The Soul Scar", produzido e criado de forma remota durante a pandemia. "Com influências de Black Sabbath e Judas Priest – inclusive no nome –, procuramos trazer uma pegada mais moderna em nosso trabalho. Começamos como banda tributo desses dois gigantes do heavy metal, mas durante a pandemia e o isolamento social partimos para criação de músicas próprias", explica o baixista Gg Neto. "Com exceção de 'The Scar Curse', as músicas do EP foram compostas à distância em função da pandemia. Quando houve a melhora a abertura nas regras do lockdown, fomos para o FK estúdio, em Niterói (RJ), para realizar as gravações, que contaram com produção e masterização de Franklin Vilaça", acrescenta.
 
Veja o clipe de "Cult of Sins" em https://youtu.be/CoN2xkizx1g

A temática de "The Soul Scar" abrange o sofrimento psíquico e as desordens de saúde mental. "Tendo enfrentado problemas de ansiedade, depressão e síndrome do pânico, sempre encontramos algum suporte e alívio de nossas aflições no metal e nas bandas de que somos fãs. Dessa forma, decidimos, através de uma catarse, transmitir toda nossa trajetória com o sofrimento psíquico em um conjunto de canções que representasse nosso sentimento para dividir nossa experiência com o público", revela o vocalista Vinicius Libânia.
 
A trilogia "The Scar Curse" se inicia com "Dying Again", música que representa a sensação de proximidade com a morte proporcionada pelo ataque de pânico. "Esta sensação leva o indivíduo a se sentir vivo e morto ao mesmo tempo, renascendo ao término da crise ao encontrar o alívio do sofrimento", detalha Vinicius Libânia. "Já 'Truth and Obsession' fala da relação que o indivíduo tem com o sofrimento, quando este se torna uma ameaça sempre à espreita. Mostra como a simples lembrança da crise de pânico pode deflagrar um novo episódio de sofrimento extremo", completa o vocalista.
 
A terceira música do repertório, "The Scar Curse", aborda a busca por libertação e a compreensão do sofrimento. "É quando o indivíduo vê cada crise com uma ferida fechada, e que é necessário estar preparado e fortalecido para o que o futuro lhe reserva", diz Libânia.
 
O single "Dying Again" é a primeira parte da trilogia "The Soul Scar", uma iniciativa do Black Priest para a conscientização sobre as síndromes de sofrimento mental, como ansiedade e depressão, de forma a apoiar quem encontra pouca ajuda no combate a essas doenças. "A música fala sobre o ciclo interminável de desamparo, sensação de quase morte e alívio súbito experimentado pelo portador de sofrimento mental, correlacionando o ataque de pânico com a sensação de estar vivo e morto ao mesmo tempo", observa Libânia. "Não é raro encontrar pessoas que sofrem de ansiedade e depressão, tendo seus problemas tratados como incompetência, preguiça e falta de atitude diante da vida. É para essas pessoas, que não conseguem encontrar uma saída de seus problemas, que a Black Priest se volta e oferece seu apoio, ao compreender seu sofrimento e transmitir através da música a força necessária para continuarem sua a caminhada e se fortalecerem diante de seus problemas", conclui o vocalista.
 
Além da trilogia "The Soul Scar", o EP também traz as faixas "Cult of Sins" e "The Rebellion", que marcam a decisão da banda de mergulhar na produção autoral após o início da pandemia.
 
Black Priest:
Vinicius Libânia (The Priest) - vocal
Júlio Xavier (The Rebel) - guitarra
Raphael Ribeiro (The Spectre) - guitarra
Gg Neto (The Evil) - baixo
Phil Drigues (The Healer) - bateria
 
Ouça o EP nas plataformas de streaming em https://ditto.fm/the-soul-scar
 
Contatos:
Instagram: https://instagram.com/blackpriest_banda
Facebook: https://www.facebook.com/bandablackpriest/

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
 
Spotify: https://open.spotify.com/album/6ZkIoJeBCt95VU3oGdeMt8?si=ZNnt8-x5Tmi9isr9id0Z0w




Imprensa - ASE Music:
http://www.asepress.com.br/music/
 
www.instagram.com/ase_press/
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Nelson Junior: guitarrista, produtor e professor lança novo álbum

O experiente guitarrista e professor Nelson Junior, que integrou bandas como Stone Hawks, NERI e Vate Alice, apresenta seu novo álbum solo, "The Pain of Being". "Trata-se de um álbum em que quis reunir um repertório extenso, com músicas de várias épocas da minha trajetória. 'The Pain of Being' conta com a presença de diversos músicos convidados, entre eles os baixistas Thiago Espirito Santo, Ricardo Bolão e Guilherme Bonatto, e os bateristas Daniel Gohn e Rodrigo Abelha, além de Raphael Stéfano, com o saxofone em 'Powered Disease', 'Só na Boa' e 'Gigolo Jingle'. O restante dos instrumentos foram tocados e programados por mim", detalhou.
 
Confira o vídeo para a faixa "Stand Up" em https://youtu.be/ZbWRFZwm3UU

Embora englobe momentos de sua carreira, a ideia de "The Pain of Being" não foi planejada. "Na virada do milênio, eu tinha um projeto ambicioso de gravar uma versão metal para Carmina Burana, obra erudita de Carl Orff. No entanto, após ter registrado as versões do primeiro e segundo movimentos, o resto ficava sem graça de adaptar, meio sem brilho. Abortei o conceito inicial, tendo concluído só esses movimentos, mas aproveitei que meu amigo Daniel Gohn estava gravando as baterias e cheguei ao estúdio com músicas pré-gravadas no meu home studio, todas no click, com as linhas 100% prontas. Daí o projeto foi tomando forma junto com Guilherme Bonatto, que ajudou na coordenação das sessões de bateria e chamou o Ricardo Bolão para fazer uma cozinha pesada e que, por sinal, é a mesma da banda de hard rock Hard:On", recordou. "Durante a pandemia, em 2020, estava produzindo muito para outros, mas com mais de 100 músicas minhas, entre demos embrionárias, ideias inacabadas e gravações finalizadas, comecei a garimpar. Ao finalizar a letra de 'The Pain of Being' sabia que naquele momento se iniciaria um resgate de anos de emoção, e dolorosas passagens de minha vida, analisando cada época, cada música, e remixando-as para que houvesse coerência, inclusive como conceito na ordem das faixas. Rodrigo Abelha, um colaborador das minhas insanidades musicais de longa data e que também é um monstro na bateria, me ajudou em algumas faixas novas, nas quais contei com a ilustre participação dele", acrescentou.
 
O guitarrista contou que chegou a separar dois álbuns de 18 faixas, mas optou por usar apenas um deles. "Após ouvir todas as musicas, com a finalização da faixa 'The Truth', escolhi um deles, o que continha as mais emblemáticas. Aí eu tinha o meu quebra-cabeça, com 18 peças de vivência montado. O passo seguinte foi fazer o lançamento na data do meu aniversário de 50 anos de idade (5 de novembro), e 37 anos de guitarra", concluiu.
 
Histórico
Nelson Junior tornou-se um dos primeiros especialistas de produtos da área musical no Brasil, sendo "demonstrador" em workshops e eventos, e até ombudsman de marcas. Atua como produtor musical independente e já escreveu para revistas como Tok pra quem Toca, Guitar Tablature, Guitar Player Brasil, Cover Guitarra, Roadie Crew, Rock Brigade, Música & Mercado, entre outras. Também possui diversas vídeoaulas de guitarra lançadas e publicou livros de áreas distintas, incluindo a obra "Falando a Linguagem das Notas", um método de música de didática própria. Atualmente, possui canal no YouTube, onde apresentou programas como Música & Ação, Nelson Junior Jogo Rápido e Nelson Junior dá o Tom, voltados ao mercado musical.
 
Ouça no Spotify em https://tinyurl.com/ye27zdwj
Deezer: https://deezer.page.link/FMGD4yqf1JDB8SKm9
 
Contatos:
Instagram: https://www.instagram.com/nelsonjuniorguitar/
Facebook: https://www.facebook.com/nelsonjuniorguitar
YouTube: https://youtube.com/c/NelsonJuniorGuitarist
 
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Imprensa - ASE Music:
http://www.asepress.com.br/music/
 
www.instagram.com/ase_press/
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

 

The Mist: novo single, The Blackmail of God, questiona qual é realmente a cara de Deus

Antecipando o lançamento do novo EP, "The Circle of the Crow", o The Mist apresenta o terceiro single, "The Blackmail of God", em que questiona qual é a cara de Deus. "Conversei com o guitarrista Edu Megale e disse que a terceira faixa do EP deveria simular uma missa, como se fosse o homem encarando e questionando Deus cara a cara", explicou o vocalista Vladimir Korg. "Para isso, tentamos simular um ritual dentro de uma igreja ou algo do tipo, com os cantos gregorianos e essas questões que há na religião. Por exemplo, no caso da igreja católica, se você quer ir para o paraíso tem que ser bonzinho e seguir as regras de Deus, que é tudo uma interpretação católica de um livro que é praticamente uma alegoria. Então, criamos esse tipo de ambientação de uma igreja e a letra questionando alguns preceitos da doutrina. A letra fala 'sex, sex, sex e six, six, six', dando esta analogia de que tudo que dá prazer é pecado", acrescentou.

Korg reconhece que quando escutou o instrumental pela primeira vez achou parecida com um clássico do Black Sabbath. "Ela veio naquela marcha estilo 'Children of the Grave'. Pensei em fazer um vocal como se as pessoas tivessem fazendo aquela ladainha com um mentor, um padre, um pastor ou alguma coisa assim, e as pessoas repetindo coisas o tempo todo dessa doutrina. Pensei nas religiões invadindo tribos e lugares catequizando e colonizando as pessoas espiritualmente. Mas a questão central é 'mostre-me a sua cara', porque não se sabe qual é a cara de Deus. Será que é a da religião católica, da evangélica ou de outras? Se Deus é totalmente inatingível, por que escolheu o ser humano, um ser tão frágil, vulnerável e falível, para falar por ele?", questiona o vocalista. "A música é diferenciada e foi a que mais nos deu trabalho para finalizar. Em certa altura até demos uma travada. Isso aconteceu com todos, até com nosso produtor, Alan Wallace. Ela seria como a nossa atual 'Phantasmagoria', que é uma composição diferente de todas as antigas do The Mist", acrescenta.

Ouça o single "The Blackmail of God" em https://youtu.be/F-BCYszaWaY

O EP "The Circle of the Crow" está agendado para sair oficialmente em 5 de janeiro de 2022 e contará com as faixas "My Inner Monster", "Over my Dead Body", "The Blackmail of God" e "The Tempest". Vladimir Korg (vocal), Edu Megale (guitarra) e Wesley Ribeiro (baixo) gravaram o material no estúdio Maçonaria do Áudio, tendo Alan Wallace (Eminence) como produtor e Riccardo Linassi na bateria. Segundo Korg, o EP servirá como uma passagem para a composição do novo álbum full.

Merch
O The Mist preparou em sua loja online um combo para a venda, contendo camiseta do EP The Circle of the Crow + Café Arábica The Mist + CD "The Circle of the Crow".

O valor promocional do combo é R$ 100,00.

Para adquirir, acesse: https://fogyoumerch.lojaintegrada.com.br/combo.






Discografia:

Phantasmagoria (1989)
The Hangman Tree (1991)
...Ashes to Ashes, Dust to Dust... (EP, 1993)
Gottverlassen (1995)
The Circle of the Crow (TRB, EP, 2022)

Contatos:
Plataformas de streaming: https://linktr.ee/themistband
Instagram: www.instagram.com/themistband

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Imprensa - ASE Music:
http://www.asepress.com.br/music/
 
www.instagram.com/ase_press/
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

 

 

 

Cosmic Rover lança novo álbum, "HEAVY"

O power trio paulistano Cosmic Rover, formado atualmente por Edson Graseffi (vocal e bateria, Motorhammer e ex-Panzer), Xande Saraiva (guitarra, Baranga) e Rodrigo Felix (baixo), apresenta "HEAVY", sucessor do álbum de estreia, "Spitting Fire" (2019). Produzido pelo experiente Henrique Baboom Canale, "HEAVY", que está disponível em todas as plataformas de streaming pelo selo Abraxas, traz sete faixas gravadas à moda antiga. "A gravação foi feita da mesma forma que nossos lançamentos anteriores, com a captação feita ao vivo e todos tocando juntos na mesma sala, como se fazia nos anos 1970. Mesmo na contramão das produções modernas, cheias de efeitos de estúdio e edições de Pro Tools, o resultado é grandioso e vai agradar quem curte heavy metal, stoner, southern e hard anos 70", avalia Edson Graseffi. "Não usamos metrônomo e o álbum traz o mínimo de edições possíveis para manter as características orgânicas e ter uma sonoridade mais vintage que se aproxima dos álbuns antigos de rock pesado. No processo de gravação, apenas vozes e solos foram colocados em overdub. O restante que se ouve é realmente a banda tocando junta, sem cortes e edições de estúdio", completa Rodrigo Felix.

Ouça o álbum "HEAVY" em https://www.youtube.com/watch?v=29PJY16yVXg&list=OLAK5uy_mXTFDRiqxtM1B9Dd-oSzGQ1e5lCF2ohyA

Sobre a sonoridade de "HEAVY", o guitarrista Xande Saraiva, que faz sua estreia com o Cosmic Rover, explica: "O segredo é a liberdade de composição, sem pensar em estilos ou regras para serem seguidos. De fato, apenas fazemos o que mais curtimos fazer, que é tocar rock pesado! As influências das músicas do repertório percorrem bandas das décadas de 70, 80 e 90, ou seja, tudo o que ouvimos e de onde veio a nossa bagagem musical".

A parte lírica, a cargo de Graseffi, apresenta temas mais urbanos, falando de carros e baladas na noite. "Além disso, há letras mais introspectivas e com vibe positiva. A faixa 'Just Let Me Free', que fecha o repertório, traz a participação de Xande cantando em português em um trecho", detalha.

A arte de capa de "HEAVY" foi produzida por Graseffi que, além de músico, também é ilustrador e tatuador. "Ela foi concebida usando arte digital baseada em referências de artistas da Kustom Kulture dos anos 70", explica o vocalista e baterista.

Cosmic Rover:
Edson Graseffi (vocal e bateria)
Xande Saraiva (guitarra)
Rodrigo Felix (baixo)

Discografia:
"Cosmic Rover" (EP, 2018)
"Cosmic Sessions..." (ao vivo, 2018)
"Spitting Fire" (CD, 2019)
"HEAVY" (CD, 2021)

Confira "HEAVY" nas plataformas de streaming em https://onerpm.link/CosmicRover_Heavy

História:
O power trio Cosmic Rover fez sua estreia com o EP homônimo em 2018. Produzido por Henrique Baboom Canale, recebeu ótima resposta da mídia e do público, tendo sido veiculado em programas de rádio do México e Alemanha. No Brasil, foi considerado por diversos veículos de mídia como melhor EP de 2018 e também na categoria 'banda revelação' daquele ano. Para promover o lançamento, a banda fez diversos shows pelo circuito de São Paulo e interior do estado, fechando o ano com a abertura para os uruguaios do Reytoro no SESC Belenzinho.

O primeiro full, "Spitting Fire", saiu no ano seguinte pelo selo Abraxas em formato digital. Os shows de divulgação iniciaram-se en Montevidéu (URU) ao lado do Reytoro. Na ocasião, o trio tocou em um evento sold out para 1.200 pessoas. Para fechar os shows de divulgação, participou de uma das edições do programa Kiss Club (Kiss FM). Como resultado, "Spitting Fire" foi eleito como um dos 10 melhores álbuns nacionais de 2019 na votação dos leitores da revista Roadie Crew e também figurou com um dos melhores lançamentos pelo site Headbanger Latino América. Além disso, teve outras menções em listas de diversos sites e canais de YouTube e uma das faixas, "Our Tattoos", integrou a coletânea em CD da revista Classic Rock UK.

Contatos:
Instagram: @cosmicrover
Facebook: facebook.com/cosmicrovermusic/
BandCamp: https://cosmicrover.bandcamp.com/releases
YouTube: https://tinyurl.com/syaxrsnr

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.


Imprensa - ASE Music:
http://www.asepress.com.br/music/
 
www.instagram.com/ase_press/
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

 

 

 

Heaven's Guardian efetiva a vocalista russa Natalia Tsarikova

Após lançar o DVD "Live At Goiânia Theater" (2018) e o CD duplo "Live at Gyn Theater" (2020), gravado ao vivo ao lado da Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás, o Heaven's Guardian se preparava para iniciar uma turnê pelo Brasil e Europa ao lado da Sinfônica Jovem de Goiás, mas o mundo foi surpreendido pela pandemia. Com as apresentações canceladas, a banda iniciou o processo de composição das músicas para o quarto álbum, "Chronos", que será produzido por Roy Z (Bruce Dickinson, Rob Halford). No entanto, durante este período ocorreram duas mudanças na formação. A primeira foi a oficialização do baterista Murillo Vieira e, recentemente, a vocalista Olivia Bayer saiu por motivos pessoais e foi substituída pela cantora russa Natalia Tsarikova.

Carlos Zema e Natalia Tsarikova (vocais), Ericsson Marin e Luiz Mauricio (guitarras), Murilo Ramos (baixo), Murillo Vieira (bateria) e Everton Marin (teclados) irão registrar "Chronos" em Los Angeles, ao lado de Roy Z. "Roy aceitou o convite para a produção do álbum, agendada para ocorrer em Los Angeles no ano que vem. Nós tivemos um grande processo de escolha tanto da Natalia como do Murillo. Ouvimos diversos músicos dentro e fora do Brasil, avaliamos as possibilidades para a gravação em Los Angeles, futuras turnês com a banda e eles foram os escolhidos. Murillo, por ser de Goiânia, foi mais fácil ouvi-lo e entender seus interesses pessoais. Com a Natalia enviamos um e-mail despretensiosamente e, por incrível que pareça, ela nos respondeu com um enorme interesse no projeto 'Chronos'", detalhou o tecladista Everton Marin. "Ela gravou algumas músicas do Heaven's Guardian e nos agradou profundamente. Além de ser uma excepcional cantora, possui milhares de fãs na Europa através do seu canal do YouTube, que se difundiu com os covers do Nightwish. Agora ela terá o seu primeiro trabalho junto a uma banda de heavy metal, algo muito esperado por seus milhares de fãs mundo afora", acrescentou.

O processo de composição e criação do novo álbum se dará basicamente online. "Trabalharemos de forma remota, trocando o material, mas ficaremos uma semana no estúdio de Roy Z em julho de 2022 para que ele faça a pré-produção e a escolha do material final para o disco. Depois, iremos para estúdio realizar a gravação", revelou o guitarrista Luiz Mauricio. "Como será um disco gravado com orquestra, Roy Z virá para Goiânia para captar a orquestra. As músicas irão manter e pegada metal que a banda sempre teve e, claro, adicionando essa pitada da música clássica através da orquestra e agora dos vocais da Natalia", completou o guitarrista Ericsson Marin.

Confira o vídeo de apresentação de Natalia Tsarikova em https://youtu.be/UOMF1qk9JS0

Natalia Tsarikova
Nascida em São Petersburgo em 1988, aos 6 anos de idade Natalia Tsarikova já atuava cantando. "Meus pais me disseram que canto desde que nasci. Aos 6 anos de idade minha mãe me levou a audição para o coral infantil de televisão e rádio, onde comecei a cantar e atuar ativamente em todos os locais de música da cidade", recordou. Porém, em certo momento da vida, Tsarikova teve que escolher entre os esportes e a música. "Gostava muito de atletismo e um treinador me convidou para se juntar à equipe olímpica. Portanto, me tornei profissional por um curto período de tempo, mas tive que escolher entre o esporte e a arte, pois não havia tempo suficiente para tudo. Decidi me concentrar em cantar e, aos 12 anos, entrei para um dos mais conhecidos corais de São Petersburgo", contou a cantora, que cursou a faculdade de música de Rimskiy-Korsakov antes de se mudar para a Itália, onde estudou no conservatório de Milão.

Atualmente residindo na Finlândia, Tsarikova esteve envolvida em vários projetos musicais e inúmeros eventos. "Participei do famoso concurso de TV 'All Together Now' e cheguei às finais. Há alguns anos, criei meu canal no YouTube, onde compartilho minha voz e talento com outras pessoas. O canal está crescendo e já tem mais de 165 mil seguidores. Penso que a minha educação acadêmica me deu a oportunidade de cantar diferentes gêneros e estilos", disse. "Uma dos primeiros covers que fiz foi 'Sleeping Sun', do Nightwish, que agora conta com 24 milhões de visualizações. Estava fascinada pela voz e a formação acadêmica de Tarja Turunen. Todos os dias recebo comentários positivos e valiosos ao redor do mundo, o que me inspira a criar e me desenvolver como cantora", acrescentou.

Sobre a entrada no Heaven's Guardian, a cantora se disse surpresa e animada ao receber o convite. "A oferta para gravar novo álbum em Los Angeles com orquestra sinfônica, tendo Roy Z na produção parecia atraente, então decidi arriscar. Fiquei impressionada com o vocal de Carlos Zema e isso também influenciou minha decisão de entrar. Espero que minha voz e personalidade adicionem novas cores e conduzam a banda a novos horizontes", concluiu.

Financiamento coletivo
O Heaven's Guardian também lançou uma campanha de financiamento coletivo, na qual os fãs podem ajudar na realização deste grande projeto através da pré-venda do álbum, vinil, camisetas, canecas, box de cerveja, a inclusão do nome e da foto de quem contribuir, além da possibilidade de ter acesso a um dia de gravação conhecendo o estúdio e o produtor Roy Z. Mais informações em https://abacashi.com/p/heavensguardian.

Sites relacionados:
www.heavensguardian.com.br
Instagram: @heavensguardiann
Facebook: facebook.com/profile.php?id=100063508362595
Spotify: https://tinyurl.com/tpe4u2zp

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.



Imprensa - ASE Music:
http://www.asepress.com.br/music/
 
www.instagram.com/ase_press/
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

On Fire Booking Agency fecha contrato para turnê europeia do Alchemia

A On Fire Booking Agency, agência especializada em fazer turnês de bandas na Europa, fechou contrato com a banda de horror metal Alchemia para uma turnê que irá ocorrer em dezembro de 2022. O giro na "Winter Tour" terá duração de duas semanas, passando pela Alemanha, França, Bélgica, Holanda, Polônia e República Tcheca. "A ideia dessa tour é atacar os mini festivais de inverno que acontecem nessa época do ano na Europa. Como o Alchemia tem uma proposta ligada ao horror metal, tenho certeza que irá ser uma atração bem legal para esses shows que antecedem as festas de final de ano", declarou Alexandre Brito, proprietário da On Fire Booking Agency. "Estamos entusiasmados com esta tour para 2022! Será a apresentação da 'Inception Tour' na Europa e contamos com a experiência do Alexandre Brito para que seja um sucesso", acrescentou o vocalista do Alchemia, Victor Hugo Piiroja.
 
Com esse contrato, a On Fire Booking Agency fechou o ano de 2022. "Estamos atentos a todas as condições sanitárias impostas pela pandemia, mas confiantes com a retomada dos shows e iremos começar o trabalho na Europa em abril. Faremos algumas turnês que tiveram que ser adiadas em 2020 e 2021 por conta da pandemia e fechamos outros contratos também para disseminar o metal brasileiro pelo Velho continente. Será um ano bem produtivo", explicou Alexandre Brito.
 
ON FIRE BOOKING AGENCY – TURNÊS 2022:
Abril - Amken (Thrash Metal - Grécia)
Abril/Maio - Disgrace And Terror (Death Thrash - Brasil)
Maio/Junho - Faces of Death (Thrash Metal - Brasil)
Junho - Syntz (Heavy Metal - Brasil)
Julho - Dezaztre Natural (Crossover - Chile)
Julho/Agosto - Pesto (Grindcore - Brasil)
Outubro - Cadibode (Hardcore - Brasil)
Outubro/Novembro - Red Mess (Stoner Metal - Brasil)
Novembro - D.I.E (Crossover - Brasil)
Dezembro - Alchemia (Horror Metal - Brasil)
 
A On Fire Booking Agency é capitaneada por Alexandre Brito e também conta com Leandro Gavazzi como manager e motorista durante as turnês. A agência possui Van própria, backline, serviço de booking, motorista e tour manager. A agência está com vagas abertas para o ano de 2023 e os interessados devem entrar em contato através do e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .
 
ALCHEMIA - "INCEPTION"
O grupo paulistano de horror metal, criado em 2018 por Victor Hugo Piiroja (vocal) e completado por Rodrigo Maciel (guitarra), FIFAS (baixo), Alex Cristopher (bateria) e Wally D'Alessandro (teclado), lançou seu álbum de estreia "Inception" no mercado brasileiro no dia 31 de outubro de 2020 e no exterior em 2021 pela gravadora italiana Wormholedeath. O material foi gravado nos estúdios Fusão e Carbonos, com produção de Piiroja, em colaboração com Ricardo Campos (Sunseth Midnight), que produziu os vocais. Já a mixagem e a masterização ficaram a cargo do renomado produtor e engenheiro de áudio dinamarquês Tue Madsen, que trabalhou com Rob Halford, Babymetal e Moonspell, entre outros.
 
"Inception" apresenta elementos sinfônicos dramáticos e sintetizadores góticos assombrosos, arranjados e expandidos pelo compositor britânico Jon Phipps, que criou orquestrações para Moonspell, Amorphis, Angra e Dragonforce. O artista brasileiro Carlos Fides, que ilustrou artes para bandas como Kamelot, Evergrey e Edu Falaschi, foi responsável pela perturbadora arte da capa de "Inception", que se inspira em trilhas sonoras de filmes de terror, na música dark e no metal contemporâneo. Alinhado à estética do terror em sua música, o Alchemia se apresenta com elementos visuais teatrais e mórbidos e macabros em palco, tendo colaboração com o artista performático brasileiro Coveiro Maldito.

Confira o vídeo de "Grind", produzido pela Caxao Produtora, o artista performático brasileiro Coveiro Maldito e Jota Rugal, e editado por Xtudo Obze, em https://youtu.be/TVVh_PWxwXw



Redes sociais Alchemia:
Instagram: alchemiabandofficial
Facebook: alchemiabandofficial
Twitter: alchemiabandoff

Site relacionado: http://alchemiaband.com/


Imprensa - ASE Music:
http://www.asepress.com.br/music/
 
www.instagram.com/ase_press/
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Metralion oficializa Gustavo Fernandez como baixista

O grupo carioca de thrash metal Metralion, que atualmente promove o álbum de retorno, "Requiem For a Society", oficializou Gustavo Fernandez como baixista. O músico, que também integra o Necromancer, fará a sua estreia ao lado de Rica (vocal), Fernão Carvalho (guitarra) e Roberto Loureiro (bateria) no show que ocorre no dia 11 de dezembro na Areninha Hermeto Pascoal, em Bangu, no Rio de Janeiro. "Gustavo ficou sabendo que precisávamos de um baixista e ligou falando que estava interessado na vaga. Combinamos de levar um som e ele tirou oito músicas do Metralion rapidamente. Durante o ensaio, Fernão fez umas poucas correções e ficamos todos satisfeitos com o resultado. E, mais importante, com ele em si, porque não nos conhecíamos e gostamos dele de cara", comentou o vocalista Rica. "Ele demonstrou muito empenho e qualidade, porque não é fácil tirar tantas músicas em tão pouco tempo. Nossas músicas não são muito comuns em termos de escalas e têm muitas dissonâncias e o Gustavo captou isso rapidamente", completou Fernão Carvalho.
 
Sobre as agendas das bandas, Roberto Loureiro esclareceu: "Acertamos tudo com Gustavo e combinamos uma maneira para que a atuação dele não causasse conflitos nas agendas do Metralion e do Necromancer que, por sinal, se apresentarão no mesmo evento ao lado de Azul Limão, Hacropole e Fabio Trovão. Estamos felizes com a chegada de alguém com tantas qualidades como pessoa e como músico".

Confira o vídeo, criado por Raoni Joseph a partir da arte de capa de Alcides Burn (Burn Artworks), em https://youtu.be/w3BB0hxMiNs



"Requiem For a Society"
Disponível em versão física pela gravadora Dies Irae e disponibilizado nas plataformas de streaming, "Requiem For a Society" contou com arte a cargo de Alcides Burn (Burn Artworks) e gravação, mixagem e masterização pelo engenheiro de som Victor Barbosa, que trabalha com o NervoChaos, é baterista do Agoniza e integrou bandas como Expose Your Hate, Sanctifier e Lord Blasphemate. O álbum conta com participações especiais de Marcos Dantas (Azul Limão) no solo em 'Cold Rules', de Paulão Vianna (Sodoma, RN) no solo de 'Times of Crisis', de Sérgio Facci (Vodu) nos teclados de 'Disorder' e de Sophie Fraser e John Fraser (Hand of Kalliach) em "Requiem for a Society".

Para adquirir a versão física de "Requiem For a Society", lançada pela gravadora Dies Irae com slipcase, pôster, adesivo e booklet de 12 páginas com letras e fotos inéditas, entre em contato através do e-mail (O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ) ou pelo whats +55 21 97003-5053 (Rica).
 
Repertório:
01 - War Heroes
02 - Rivals + Tyrants
03 - Life in Flames
04 - Empires
05 - Hell is Real
06 - Cold Rules
07 - Pigs of Law + Penury
08 - No Way Out
09 - Katabasis
10 - Disorder
11 - Times of Crisis
12 - Requiem For a Society
 
Ouça nas plataformas de streaming:
Spotify: https://tinyurl.com/2wrppjvk
Deezer: https://tinyurl.com/myww4ayu

O retorno
Após mais de três décadas ausente, o retorno do grupo se deu após a repercussão positiva do lançamento dos álbuns "Quo Vadis" (1988) e "A Mosh in Brazil" (EP, 1989) pelo selo chinês Awakening Records, em novembro de 2019. Os singles "Pigs of Law+Penury" e "Rivals+Tyrants" anteciparam o novo álbum, que começou a ser trabalhado em janeiro com a colaboração de Alex Cavalcanti (guitarra solo), que substituiu Fernão em 1988 e tocou no álbum "A Mosh in Brazil" (1989). "Os singles que lançamos antes foram uma prévia do álbum, que traz quase tudo que fizemos no passado e três músicas inéditas – 'Hell is Real', 'Katabasis' e 'Requiem For a Society', a faixa-título. Trata-se de uma ponte entre nosso passado e o que pretendemos para o futuro. Ficamos mais de trinta anos sem dar notícia e nossos vídeos deram uma boa repercussão, inclusive no exterior", concluiu o baterista.
 
Discografia:
Quo Vadis (1988)
A Mosh in Brazil (EP, 1989)
Quo Vadis / A Mosh in Brazil (coletânea, 2019)
Requiem For a Society (2021)
 
Mídias sociais:
Instagram: instagram.com/metralion86/
Twitter: https://twitter.com/Metralion
 
Site relacionado:
https://diesirae.loja2.com.br/9900234-METRALION-Requiem-For-a-Society-CD-



Imprensa - ASE Music: http://www.asepress.com.br/music 
Insta: www.instagram.com/ase_press/
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Projeto OUTRO revela primeiro single do álbum "Anticonstitucionalissimamente"

OUTRO, projeto do multi-instrumentista e vocalista Guilherme E Silveira, apresenta o single e lyric video "Som de motor, conversa e construção", faixa que integrará o repertório do álbum de estreia, intitulado "Anticonstitucionalissimamente". O material será lançado junto com um livro de crônicas de Camila Mossi e uma HQ, também de Guilherme, no box "Anticonsbox", que encontra-se em campanha de financiamento coletivo no catarse. "Esta música representa bem o que será o álbum, com um som pesado em diálogo com a vida urbana e sua contradição entre oportunidades e opressões. Inspirada no ritmo do trânsito e das incessantes construções nas cidades, ela mescla uma sonoridade contida, apoiada na 'cozinha' mais seca e pesada, com levadas fluídas que encadeiam diferentes elementos sonoros", detalhou Guilherme E Silveira. "É um metal mais calcado no clima denso e nos ambientes do que no virtuosismo. Daí a referência a bandas do groove/industrial dos idos de 1990, bem como do rock pesado nacional que fez convergir Sepultura, Nação Zumbi e Pavilhão 9 nos mesmos anos 90", acrescentou.

Confira o lyric video de "Som de motor, conversa e construção": https://youtu.be/PZX-Tw3jK5s
 

No vídeo, a mescla de imagens da cidade e construções de forma caleidoscópica é proposital. "A cidade é isso mesmo, muita coisa ao mesmo tempo, em todas as direções. O vídeo também reforça pelas margens a separação entre a vida da maioria das pessoas e dos ricos em suas bolhas. O último verso da música '... e o poder distante lá' é o reforço dessa noção: bem ou mal, a cidade acontece, é orgânica, enquanto a riqueza que explora continua em suas bolhas silenciosas e artificiais, achando que escaparão para sempre da cidade que eles ajudam a acelerar", relatou Silveira.



O álbum "Anticonstitucionalissimamente" materializa a proposta da banda OUTRO em criar música em diálogo com outras artes. Desta forma, acompanhará uma caixa nomeada "Anticonsbox", que conta com um livro de crônicas da escritora Camila Mossi, uma história em quadrinhos de Guilherme E Silveira com a cronista e o álbum da Outro (livreto com letra e ilustrações e CD, além do acesso digital para download). "Todos os itens se pautam no cotidiano brasileiro atual, passando pelas angústias da pandemia, pelos desmandos do governo e a onda conservadora e fascista do país, mas também por questões mais íntimas, sempre carregados de ironia e humor ácido. Como parte da parceria, Camila Mossi também trabalhou em letras para as músicas do álbum", explicou Silveira. "Iniciei as conversas com Camila Mossi para ilustrar o livro de crônicas dela, que foi um dos vencedores do Prêmio de Obras Literárias da SECC - Outras Palavras, na categoria 'coletânea de contos e crônicas'. Aos poucos, veio a ideia de adaptar uma das crônicas, a 'Anticonstitucionalissimamente', e isso deu o start na ideia do projeto. Retiramos essa crônica do livro para que a HQ pudesse estar junto sem repetição do texto. Na sequência, percebemos que os temas tinham tudo a ver com algumas faixas que eu estava compondo para a OUTRO e resolvemos ampliar o projeto para o que é hoje: crônicas, HQ e música lançados como um só produto, refletindo sobre um mesmo tema em diferentes linguagens", acrescentou.

A "Anticonsbox" está em um projeto de financiamento coletivo no catarse (www.catarse.me/anticons). "Por se tratar de uma pré-venda, é garantido que o apoiador receberá o material em casa, mesmo que o projeto não complete toda a meta financeira, isso por conta da parceria com o Selo Risco Impresso que abraçou a proposta e está cuidando de todo o lançamento", observou Silveira.

Sites relacionados:
https://www.instagram.com/outroriscosonoro/
https://www.facebook.com/outroriscosonoro
https://outroriscosonoro.bandcamp.com/
guilhermeesilveira.com.br/outroriscosonoro

Catarse: https://www.catarse.me/anticons

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Imprensa - ASE Music: http://www.asepress.com.br/music 
Insta: www.instagram.com/ase_press/
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Visit fbetting.co.uk Betfair Review