Nite Stinger: álbum de estreia oficialmente lançado

Com os singles "Gimme Some Good Lovin'" e "That Feeling" na bagagem, Jack Fahrer (vocal), Roger Benet e Bruno Marx (guitarras), Bento Mello (baixo) e Ivan Busic (bateria) apresentaram ao público a banda Nite Stinger, que agora lança oficialmente o disco de estreia, homônimo. O material, produzido por Roger Benet e Bento Mello, tem lançamento em formato físico no Brasil pela Animal Records e na Europa pela Steelheart Records, enquanto a Canil Records se encarrega do formato digital.

Veja o videoclipe de "Gimme Some Good Lovin'", dirigido por Rodrigo Barth, em https://youtu.be/lSOGIhE85UU
 


Sobre a arte de capa do debut, a cargo de Giuliano Laruccia, o baixista revela que ela foi trabalhada em cima de uma foto clicada por Jack Fahrer. "A capa tem até a ver com algumas músicas e com o próprio nome da banda, formada por pessoas que saem de casa, curtem viver a vida, estão sempre nos shows, bares e vivem a noite. Queríamos algo que pudesse representar isso, ainda que estejamos passando por esta pandemia. Encontramos o neon do escorpião e Jack sugeriu uma foto que ele mesmo fez em Nova York. Ela mostra um beco pegando aquela parte dos fundos, comum dos estabelecimentos noturnos. Combinou com o que queríamos, porque tem a ver com o som e a proposta do Nite Stinger", explicou Bento Mello.
 
A escolha do nome da banda, que dá título ao álbum, surgiu quando Bento Mello pensou em um cardápio de drinques. "Quando conversava com um amigo, João Piccolo, que é bartender em São Paulo, ele falou: 'Midnight Stinger'. Passamos a nos tratar com este nome, o tempo passou, gravamos a demo e veio a pandemia. Em uma das várias conversas de forma remota, concluímos que o nome estava um pouco longo, fora a questão de termos várias bandas com o nome parecido, como Midnight Danger, Midnite City, Midnight Circus, Midnite Club, Midnight Sun, Midnight Blue, etc. Foi por isso que optamos por manter a origem, mas encurtar para Nite Stinger", explicou.
 
Após o lançamento, o próximo passo é partir para a divulgação do álbum ao máximo. "Esperamos poder fazer alguns shows para mostrar a banda em ação nos palcos e sentir as músicas com o público. Claro, temos a questão da pandemia, mas as coisas felizmente parecem estar melhorando. Além disso, temos ideias na manga que não usamos para esse disco, com bons riffs e melodias que Roger, Jack e eu criamos. Adianto que Nite Stinger será uma banda sólida e a ideia é fazer barulho por bastante tempo", concluiu Mello.
 
Para ouvir nas plataformas de streaming, acesse: https://bit.ly/NiteStinger_
 
Confira o repertório de "Nite Stinger":
01- Gimme Some Good Lovin'
02- You Want It, You Got It
03- Hell Is Getting Higher
04- By Your Side
05- Let Me In
06- Heading Out
07- That Feeling
08- Hot But Trouble
09- Saturday Night
10- Crank It Up
11- Beat It (bônus)

Mídias Sociais (@nitestinger):
Facebook: https://www.facebook.com/nitestinger
Instagram: https://www.instagram.com/nitestinger/
 
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.



Imprensa - ASE Music: http://www.asepress.com.br/music

 

Faces of Death recruta o guitarrista Luiz Amadeus

O guitarrista Luiz Amadeus, músico autodidata que começou suas atividades nos anos 80, também faz parte do Tormentor Bestial e integrou o Attomica, foi oficializado no Faces of Death. "Sempre pensando no melhor para a banda, convidamos o guitarrista Luiz Amadeus para agregar seu conhecimento ao Faces of Death, pois trata-se de um músico experiente, que também é vocalista e produtor. Sabemos dos desafios em manter um banda de metal ativa. Porém, somente durante a pandemia lançamos um novo álbum e, em novembro, lançaremos um ao vivo gravado no AudioLab Extreme Studio", declarou Laurence Miranda. "Se pararmos para pensar, lançar dois trabalhos, e mais vídeos, na pandemia é coisa de quem está sempre buscando o melhor. Este é nosso objetivo e a nossa meta é não parar de trabalhar para seguir na contramão de pensamentos negativos", acrescentou.
 
Guitarrista e vocalista, Luiz Amadeus, desde cedo trabalhou como músico nas noites de Taubaté (SP), sua cidade natal. Começou a lecionar guitarra, baixo e violão nos anos 90, chegando a montar sua escola de música com um amigo. "Nesta época, tive a oportunidade de ensinar muitos músicos da cena metal do Vale do Paraíba e isto me levou a montar, em 1996, meu estúdio. Comecei a fazer produções musicais e a lecionar, mas, paralelamente a isso, sempre montei bandas de rock/metal e participei de muitos projetos, incluindo o Attomica e o Tormentor Bestial, no qual também toco atualmente", contou. "O convite para integrar o Faces of Death veio do amigo Laurence Miranda. Foi uma ótima surpresa! Espero poder agregar à banda como músico, produtor, compositor, letrista e arranjador", acrescentou.
 
Veja o vídeo de Luiz Amadeus falando sobre sua carreira e entrada no Faces of Death em https://youtu.be/RqMw4zjfSTE



Promovendo o álbum "Usurper of Souls" (2020), o Faces of Death participou de festivais online, como 'Roadie Crew Online Fest', 'Metal no Vale Fest', 'Metal com Batata Fest', 'Strenght Metal Fest', 'Resenhando Rock' e 'Setfire Metal Fest'. O mais recente lançamento é "Live Rehearsal - A Drink With The Death", um vídeo que conta com a performance em uma sala de ensaio, mesclado a depoimentos dos integrantes. Produzido pela banda e por Niko Teixeira no Audio Lab Extreme Studio, em Taubaté (SP), o material teve arte de capa criada por Alcides Burn e a intro em animação Wanderley Perna. "A ideia de fazer um vídeo mesclando ensaio ao vivo e depoimentos surgiu quando estava assistindo ao vídeo do Sepultura, 'Under Siege - Live in Barcelona'. Como ainda as coisas estão confusas e difíceis para quem trabalha com música no Brasil por causa da pandemia, decidimos fazer esse vídeo para preencher um pouco esse vazio e a falta de shows", explicou o vocalista e guitarrista Laurence Miranda. "Como todas as bandas, claro que queríamos ter feito muitos shows para mostrar 'Usurper of Souls' nos palcos, mas traduzimos esta vontade quando nos reunimos no Audio Lab Extreme Studio, em Taubaté (SP)", concluiu o baixista Sylvio Miranda.
 
Veja o vídeo "Live Rehearsal - A Drink With The Death" em https://youtu.be/CpNlj0vy1Zg
 
Mídias sociais: @facesofdeath
Facebook: https://www.facebook.com/FacesofDeathBand
Ouça o material da banda em https://facesofdeath.hearnow.com/
 
Para adquirir a versão física do álbum "Usurper of Souls" e a nova camiseta da banda, entre em contato através do e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.



Imprensa - ASE Music: http://www.asepress.com.br
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

The Troops of Doom apresenta vídeo para 'The Absence of Light'

"The Absence of Light", faixa do novo EP do The Troops of Doom ganhou um vídeo produzido por Wanderley Perna, que teve a première através do site da No Clean Singing, onde ficou rodando por dois dias. "Como 'The Absence of Light' é um EP conceitual, com as letras e temáticas inspiradas no clássico livro 'Leviathan', do filósofo inglês Thomas Hobbes, achamos que seria interessante ter um único vídeo para as três faixas que compõem o EP (Introdução, Ato I e Ato II)", explicou o guitarrista Marcelo Vasco. "Como as músicas estão interligadas não faria muito sentido apresentarmos separadamente, já que elas fazem parte de um mesmo universo, abordando uma mesma história", acrescentou.

Veja o vídeo de "The Absence of Light" em https://youtu.be/gbwne3tb9EQ

Segundo o guitarrista Jairo "Tormentor" Guedz, o vídeo tem aproximadamente 13 minutos de duração para o ouvinte conseguir absorver o conceito do EP como um todo. "O vídeo foi criado por Wanderley Perna, que é nosso parceiro desde que começamos o The Troops of Doom e o trabalho ficou simplesmente fantástico. Ele animou cenas usando a arte da capa, criada pelo pintor Maramgoní, aliando-as a famosas ilustrações de Gustave Doré e pinturas do icônico Hieronymus Bosch", detalhou.

O novo EP gravado por Alex Kafer (vocal e baixo), Jairo "Tormentor" Guedz (guitarra), Marcelo Vasco (guitarra) e Alexandre Oliveira (bateria) está disponível nas plataformas de streaming através da Blood Blast, subsidiária digital da gravadora alemã Nuclear Blast. O material, que foi mixado e masterizado no Crosound Studio, na Noruega, por Øystein G. Brun (Borknagar), teve arte de capa criada pelo pintor brasileiro, radicado em Portugal, Maramgoní.

"The Absence of Light" conta com a participação de Jeff Becerra (Possessed) na faixa "The Monarch", além de Lars Nedland (Borknagar, Solefald e White Void) no baixo nas três primeiras faixas e de Dave Deville na introdução orquestral. "Além da regravação de uma música de minha autoria com o Sepultura, 'Antichrist', achamos importante apresenta as duas faixas principais do EP também em formato 'demo'. É interessante que as pessoas sintam a diferença entre as versões e possam entender como a banda desenvolve suas ideias e músicas à distância, já que o The Troops of Doom foi criado em meio à pandemia", observou Guedz. "Além disso, a faixa 'Introduction - The Absence of Light' foi orquestrada pelo talentoso músico e produtor Dave Deville, que também foi responsável pela 'intro' do EP 'The Rise of Heresy'", completou.

O formato físico do EP está disponível em CD pela Metalized Records no México e nos EUA, Hellven Records na Europa e Voice Music no Brasil. Além disso, será lançado em vinil pela Hellven Records na Europa e em fita cassete pela Repulsive Echo Records na Europa.

Ouça o EP nas plataformas de streaming em https://backl.ink/148098404


 
Repertório - "The Absence of Light":
1. Introduction - The Absence of Light
2. Act I - The Devil's Tail
3. Act II - The Monarch feat. Jeff Becerra (Possessed)
4. Antichrist (Sepultura)
5. The Devil's Tail (Versão Demo)
6. The Monarch (Versão Demo)

The Troops of Doom ao vivo
O The Troops of Doom agendou o primeiro show de sua carreira no "Over Metal Fest 2021", que ocorre no dia 11 de dezembro no Fabrique Club, em São Paulo (SP), ao lado de Torture Squad e Attomica, além da presença de Vitor Rodrigues (vocal, Tribal Scream, Victorizer, ex-Torture Squad e Voodoopriest), que cantará algumas músicas com Torture Squad e Attomica. Os ingressos estão disponíveis pela Sympla (https://www.sympla.com.br/over-metal-fest-2021__1322294).


 
Site relacionado e loja online: www.thetroopsofdoom.com
Face | Insta: @thetroopsofdoom
Youtube: https://youtube.com/thetroopsofdoom

Booking/Management: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. | Whatsapp: +55 21 998581699, c/ Rodrigo Scelza

Imprensa - ASE Music: http://www.asepress.com.br/music/

 

 

 

 

Necromancer lança novo single e lyric video, 'Dreadful Ruler'

O grupo carioca de thrash metal Necromancer, formado por Marcelo Coutinho (vocal), Luiz Fernando e Eduardo "Dek" (guitarras), Gustavo Fernandez (baixo) e Vinicius Cavalcanti (bateria), apresenta o novo single e lyric video, "Dreadful Ruler". O primeiro lançamento após o segundo álbum, "Pattern of Repulse" (2020) tem a temática inspirada na história de Medusa, da mitologia grega. "A ideia foi contar um pouco da história do mito da Medusa que, resumindo, foi a única das Górgonas que nasceu bonita e mortal. Por sua beleza, acabou seduzindo o rei do mar, Poseidon, que a engravidou e, por isso, gerou raiva na rainha Athena que a enfeitiçou, transformando-a em uma pessoa horrenda, com cobras como seu cabelo. Ela acabou sendo decapitada enquanto dormia", explicou o guitarrista Luiz Fernando, autor da letra. "Medusa já inspirou o nome de várias bandas de metal e de letras, como a do Anthrax, mas como costumo tratar de temas históricos e mitológicos nas letras, escolhi esta para o novo single", acrescentou.
 
Veja o lyric video "Dreadful Ruler" em https://youtu.be/yYD25PRMnag



O lyric video foi criado por Alex Martins, guitarrista e vocalista do Storm Kill Project, que conta com participação do baixista e do baterista do Necromancer. "Este projeto foi criado por Alex durante a pandemia, naquele formato de composição à distância – no caso, ele em Curitiba (PR) e a gente no Rio. Basicamente é um som variado, que mescla thrash metal 'old school', heavy metal, crossover, punk e o que surgir em nossas mentes", revelou Gustavo Fernandez.
 
A mixagem e masterização do single "Dreadful Ruler" foram feitas por Fernando Perazzo no estúdio Hanoi, mesmo local onde os álbuns "Pattern of Repulse" e "Forbidden Art" (2014) foram gravados. "Desta vez, as sessões de baixo, bateria e o solo de Eduardo Dek foram feitas em nosso home studio. Já os vocais e todas as guitarras, incluindo o outro solo, ocorreram no estúdio Hanoi", revelou Luiz Fernando. "Acabei usando um cabeçote muito bom, que testei em um dos ensaios que fizemos em um outro estúdio. Gostei do timbre da guitarra, ligada diretamente no amplificador. Usei este para gravação de todas as bases e do meu solo", acrescentou.
 
O baterista Vinicius Cavalcanti concluiu revelando os planos futuros da banda: "Voltar aos ensaios regulares com a banda completa, fazer shows para promover o novo single e as músicas dos dois álbuns, especialmente do mais recente, 'Pattern of Repulse', e seguir nas composições para novos lançamentos futuros são nossos próximos alvos em curto prazo".
 
Spotify: ouça o single, que teve a arte de capa criada por Gabriele Cunha, em https://is.gd/GdSUnK
 
Merch: para adquirir camisetas e os CDs "Pattern of Repulse" e "Forbidden Art", envie um e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ou entre em contato pelo Direct do Insta @necromancer.br

Sites relacionados:
facebook.com/necromancerbr/
Insta: @necromancer.br
HM Rock: https://hmrock.com.br/produto/necromancer-pattern-of-repulse-cd/
 
Contato: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.



Imprensa - ASE Music: www.asepress.com.br/music/

 

 

 

Dirty Glory encerra atividades com álbum vitorioso

Após ser um dos destaques da segunda edição do festival online beneficente "Hard Power United", realizado nos dias 9 e 10 de outubro no canal Alma Hard no YouTube, o Dirty Glory informa o encerramento de suas atividades. O grupo paulistano de hard rock sai de cena promovendo o álbum "Miss Behave", que superou as expectativas e vem sendo elogiado pelos fãs e pela mídia. "Saio de cena confiante e orgulhoso de tudo que fizemos nestes dez anos, sempre com o coração na ponta da chuteira. A gente canta o que a gente é! O Dirty Glory existiu para dar vida à música que habita nos nossos ouvidos e nos conectar com quem pensa como a gente ou passou pelo que passamos", comentou o guitarrista Reichhardt. "Uma alegria de ter feito parte dessa história, ter ajudado a criar esse trabalho que fica para sempre, e feito amigos que levarei pra vida toda. Só tenho a agradecer", acrescentou o vocalista Jimmi DG.
 
Os músicos fazem questão de deixar claro que uma despedida não precisa necessariamente ser algo triste. O baterista Sas recorda que um terço de sua vida foi junto ao Dirty Glory. "Foram dez anos, um terço da minha vida. Tive a oportunidade de realizar um dos meus maiores sonhos junto aos meus melhores amigos e pessoas incríveis. Foi perfeito".
 
Confira o comunicado da banda na íntegra:
 
"O Dirty Glory nasceu com a finalidade de transformar o sonho de cinco caras em realidade. Ter uma banda, compor música autoral, fazer parte de uma cena, da história do hard rock brasileiro, tocar, tocar e tocar! Foram dez anos de muito trabalho, muitas conquistas, muitos sonhos realizados, muitas amizades, muita risada e muitos porres, mas chegou a hora de dizer adeus.
 
Durante esses anos, conquistamos participação em festivais com bandas do primeiro escalão como Sepultura; estar entre os melhores discos do ano pela Roadie Crew, bem como estar entre os instrumentistas mais importantes daquele ano; distribuição mundial do debut, 'Mind The Gap', com amigos mandando fotos do disco em prateleiras em países distantes; sermos selecionados em um concurso de bandas para fazer uma live no CCSP promovido pela prefeitura e pela KISS FM. Mais recentemente, lançar o segundo disco vendo a crítica empolgada dizer que supera o primeiro, jornalista dizer que tem potencial para se tornar um clássico do hard rock nacional, sermos ouvidos e ovacionados por músicos que tocam com graúdos como David Lee Roth, shows, estradas e, é claro, lançamos a nossa própria cerveja!
 
Não poderíamos deixar de agradecer o apoio, carinho, confiança, dedicação e empolgação de todas as pessoas queridas, parceiros, profissionais, fãs e amigos que fizemos ao longo desses anos.
 
No total, foram: um EP ("It’s On!"), três singles ("Every Time I Think About You", "Mr. Jack" acústico e "Uma Noite e Meia") e dois discos ("Mind The Gap" e "Miss Behave"). Quem acompanha, percebe cada fase e cada transformação, um degrau de cada vez.
 
O Dirty Glory nunca propagou nada que não fosse a voz honesta que tem dentro de cada um de seus integrantes, ignorando por completo qualquer clichê, temática ou fórmula pronta do estilo. Porém, as transformações continuam e está na hora de deixar o Dirty Glory em seu lugar de destaque, na memória e no coração, para sonhar novos sonhos! E que sejam tão doces quanto este foi. Saímos de cena deixando um clipe para que este passo não seja lamentado, mas apreciado como a música tem que ser e alegre como a gente é. A obra completa do Dirty Glory permanecerá disponível nos apps de streaming e no Youtube.
 
Obrigado a todos que fizeram parte deste sonho.
 
Dirty Glory".
 
Veja o clipe de "Solid Brand" em https://youtu.be/5pSCoBk6Oeo



Ouça nas plataformas de streaming em https://dirtyglory.hearnow.com/miss-behave

Spotify: https://bityli.com/fHjUo
Deezer: https://bityli.com/SlPYh

O QUE A MÍDIA DISSE SOBRE "MISS BEHAVE":

"'Miss Behave' tem potencial para se tornar um clássico do rard nock nacional" – Leandro Coppi (Revista Roadie Crew)
 
"O que nasceu esbanjando potencial em 'Mind the Gap' ficou ainda melhor! Em 'Miss Behave', o Dirty Glory apresenta dez músicas cheias de riffs e refrãos irresistíveis, num hard rock que o mundo precisa conhecer. Agora" – Daniel Dutra (Canal Resenhando, Revista Roadie Crew)
 
"Uma viagem aos anos 80, mas que ainda faz você se sentir em 2021. Nostálgico e moderno" – Marcel Costa, produtor e apresentador da rádio Kiss FM (Programa Autoral Brasil)
 
"O novo trabalho do Dirty Glory demonstra como o estilo deve ser: alto, melódico e viciante!" – Leandro Isoppo (Alma Hard)
 
"Poderoso, excitante e viciante. É como ouvir rock pela primeira vez!" – Dane Taranha (Apresentadora 89 FM e TNT)
 
"Não pode haver glória onde não há virtude. E onde há virtude de sobra, há o hard rock do Dirty Glory. Que som, meus amigos!" – Marcelo Vieira Music
 
"Hardzão raiz que não deve em nada para as bandas internacionais do gênero" – Márcio "Bobas" Brum - Programa Máquina do Tempo
 
"O hard rock não precisa seguir a risca cartilhas old school para soar relevante. O Dirty Glory prova que a modernidade  é uma grande aliada!" – Johnny Z. (Metal na Lata)



Sites relacionados:
facebook.com/dirtyglory
instagram.com/dirtyglory_official
youtube.com/dirtygloryband

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Naughty Dog: grupo goiano de metal lança álbum de estreia

Vindo de Formosa (GO), o Naughty Dog reforça sua proposta de fazer um heavy metal agressivo nos moldes dos anos 1980, com lançamento do álbum de estreia, "Dogs Like No Clowns", que saiu em formato físico no Brasil pelos selos Death Voice e Battle Axe Records, com distribuição na Europa pela Audio Miasma Records. "A ideia sempre foi criar riffs fortes e marcantes para lembrar que o verdadeiro heavy metal nunca morrerá. Nosso estilo remete ao das bandas clássicas de metal dos anos 80, mas, claro, com uma abordagem pessoal e uma sonoridade própria", declarou o guitarrista Rafael Montalvão. "A faixa de abertura, 'Keep The Flame Burn', conta a trajetória de um headbanger, com todos os pontos positivos e negativos. Falamos sobre os excessos com álcool e drogas, os conflitos internos e a paixão inabalável que o banger tem pelo metal", acrescentou o vocalista Junior N.N.V.

Ouça a faixa-título do álbum em https://youtu.be/CYjjxmCgEpE

Já "Naughty Dog", faixa que dá nome à banda, foi uma das primeiras composições criadas por Junior N.N.V (vocal, Malleus Mallefestus, Opositor, Denied Redemption), Rafael Montalvão (guitarra, Apollyon, Orgy of Flies, Komodo, Supernaut), Douglas Gonçalves (baixo, Golpe de Foice, Supernaut) e Alessandro Oliveira (bateria, Apollyon, Orgy of Flies). "Ela consta na demo 'Naughty... Hound... Incident', de 2014. A letra fala sobre o hellhound, cérbero na mitologia grega, caçando as almas para o inferno. Muitos relacionam com bandas pioneiras como The Rods, pela capa de 'Wild Dogs', e a brasileira Cérbero, mas o hellhound tem conexão muito próxima conosco, desde o logotipo criado por Rubens Snistram, a capa do álbum feita por Rod Souza e o próprio nome da banda", detalhou o vocalista.

"Dogs Like No Clowns" conta com nove faixas e foi gravado no At Texas Studio, com mixagem e masterização de Zé Misanthrope (Omfalos, A Peste, Godtoth, Facada) no Less Than Zero Studio.

Para ouvir o álbum, acesse: https://naughtydoghm.bandcamp.com/

Spotify: https://is.gd/F8saPr

Contatos:
Facebook: @ndheavymetal
Instagram: @naughty.dog1
Soundcloud: https://soundcloud.com/naughty-dog-heavy-metal-naughty
Youtube: https://youtube.com/channel/UCvUCghtGxcWKx8p_VgUKnKg
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
 


Imprensa - ASE Music:
http://www.asepress.com.br/music


On Fire Booking Agency: agência especializada está pronta para cair na estrada em 2022

A On Fire Booking Agency, agência especializada em fazer turnês de bandas na Europa, está a todo vapor para cair na estrada em 2022 e cumprir a agenda das excursões que tiveram que ser adiadas em 2020 e 2021, devido à pandemia. "Depois de praticamente dois anos parados por conta da pandemia e das restrições causadas por ela, voltaremos com força total no ano que vem! Reagendamos todas as tours que ficaram pendentes e já fechamos novos contratos para poder cair na estrada em 2022. A On Fire Booking Agency é uma agência feita de músicos para músicos e temos que tomar todas as precauções necessárias", declarou Alexandre Brito, proprietário da On Fire Booking Agency.
 
Alexandre Brito também revela que a agência ainda tem um período em aberto para bandas que pretendem excursionar na Europa. "Temos em aberto um período para uma minitour para dezembro de 2022, que será chamada de 'Winter Attack Tour'. O período será de duas semanas e as bandas que estiverem interessadas em fazerem esta excursão no final do outono e começo do inverno europeu poderão entrar em contato com a agência", concluiu Brito.
 
A On Fire Booking Agency é capitaneada por Alexandre Brito e também conta com Leandro Gavazzi como manager e motorista durante as turnês. A agência possui Van própria, backline, serviço de booking, motorista e tour manager.
 
Confira a agenda da On Fire Booking Agency em 2022:
Abril - Amken (GRE)
Abril/Maio - Disgrace and Terror (BRA)
Maio/Junho - Faces of Death (BRA)
Junho/Julho - Syntz (BRA)
Julho - Dezaztre Natural (CHI)
Julho/Agosto - Pesto (BRA)
Outubro - Cadibode (BRA)
Outubro/Novembro - Red Mess (BRA)
Novembro/Dezembro - D.I.E. (BRA)
Dezembro - Em aberto
 
Para mais informações, entre em contato através do e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

Veja o vídeo com cenas na estrada em https://youtu.be/1E5KLMgbQ-I



Imprensa - ASE Music: http://www.asepress.com.br/music/

 

 

 

The Mist: instituição do metal mineiro retorna com 'My Inner Monster'

Após reformulações na formação e com o mundo enclausurado com as restrições causadas pela pandemia, o The Mist mostrou resiliência. Assim, Vladimir Korg (vocal), Edu Megale (guitarra) e Wesley Ribeiro (baixo) entraram em estúdio este ano para gravar o novo EP, "The Circle of the Crow", seu primeiro registro após de 25 anos. "My Inner Monster", primeira amostra do material gravado no estúdio Maçonaria do Áudio, tendo Alan Wallace (Eminence) como produtor e Riccardo Linassi na bateria, está agora disponível nas plataformas de streaming.
 
"Trinta anos atrás, quando escrevi o 'The Hangman Tree' estava passando por um período de depressão muito forte, meio que no fundo do poço. Porém, naquela época depressão era sinal de loucura e não vista como uma doença que todo mundo tem e passa em algum período na vida. Então, esse negócio de falar que você estava deprimido, passava por terapia, era visto como 'coisa para doido'. Estava em uma fase muito difícil, até shows não eram fáceis de fazer. Porém, passei a escrever muito, só que o 'The Hangman Tree' sempre foi 'um monstro' para mim", explicou Korg. "Vindo para os dias atuais, a 'Inner Monster' é justamente eu ter voltado com o The Mist e ter aquele medo de me reencontrar com aquele monstro. A letra fala disso, o passado que escrevi, o enforcado e a corda, coisas que não quero encarar mais e não quero soltar este monstro interior. Ela começa com uma voz pequenininha, com o tecladinho, e no final você vê que é a voz do monstro. Fala sobre o receio de soltar esse monstro interior que a gente tem. No meio da música dou um grito: 'Deus, por favor não mate meu monstro interior', porque esse monstro interior todos temos e faz parte da nossa vida, e temos que controlá-lo e ter essa outra face. No final da música o ouvinte vai ver que é o monstro cantando, falando, em meio aos solos. Isso, então, a letra tem a ver com encarar esse passado", acrescentou.
 
Confira o single "My Inner Monster" em https://youtu.be/2FFwo93lT84

O produtor e músico Alan Wallace comentou sobre trabalhar com o The Mist. "Este single mostra a nova fase do The Mist e foi uma honra fazer a produção do novo trabalho da banda. Por sinal, o meu primeiro show como músico foi uma abertura para o The Mist em 1990, em Belo Horizonte. Eu nunca iria imaginar que poderia contribuir com eles de alguma forma", concluiu.
 
"The Circle of the Crow", marcado para sair oficialmente em 5 de janeiro de 2022, contará com as faixas "My Inner Monster", "Over my Dead Body", "The Blackmail of God" e "The Tempest". Segundo Korg, o EP servirá como uma passagem para a composição do novo álbum full.
 
Ouça no Spotify em https://is.gd/Wep6yW
 
História
Surgido em 1988 pelos remanescentes da banda Mayhem e contando com o ex-Chakal, Vladimir Korg, o The Mist estreou no ano seguinte com o álbum "Phantasmagoria", ganhando notoriedade por apostar em um som baseado no thrash metal convencional com o heavy metal. Em 1991, o agora quarteto gravou o considerado clássico da banda, o conceitual "The Hangman Tree", que marcou a estreia do guitarrista Jairo Guedz (atual The Troops of Doom e ex-Sepultura) e revelou Cello Dias como um compositor diferenciado. A aposta em climas soturnos e letras alegóricas e poéticas, flertando com o cinema e clássicos da literatura, como O Mágico de Oz e Peter Pan e a Terra do Nunca, se mostrou acertada.
 
Com uma nova alteração na formação, após a saída de Vladimir Korg, a banda mineira experimentou no metal industrial com "...Ashes to Ashes, Dust to Dust..." (EP, 1993). À época, o The Mist realizou alguns shows como trio, tendo Cello Dias no baixo e vocal, Jairo Guedz na guitarra e Chris Salles na bateria. Porém, para o álbum "Gottverlassen" (1995) foi recrutado Cassiano Gobbet, que entrou no posto de Cello Dias, que saiu para se juntar ao Soulfly, de Max Cavalera. Além disso, ocorreu a entrada do guitarrista Fabio Audrey para alguns shows. A banda, então, decidiu encerar as atividades e retornou em 2018, quando Vladimir Korg reativou o The Mist com Chris Sallles e Jairo Guedz na guitarra. Wesley Ribeiro, baixista do Hellspunch, se juntou para a "The Scarecrow Tour", que trouxe os clássicos da banda no repertório dos shows. Apesar de realizar uma excursão bem sucedida, a banda perdeu Jairo Guedz, que criou o The Troops of Doom em 2020, e Chris Salles, que saiu por motivos particulares.
 
Discografia:
Phantasmagoria (1989)
The Hangman Tree (1991)
...Ashes to Ashes, Dust to Dust... (EP, 1993)
Gottverlassen (1995)
 
Plataformas de streaming e contatos: https://linktr.ee/themistband
 
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.


Imprensa - ASE Music:
http://www.asepress.com.br/music


Metralion lança álbum de retorno, 'Requiem For a Society'

O grupo carioca de thrash metal Metralion ficou mais de três décadas ausente, mas reapareceu com os singles "Pigs of Law+Penury" e "Rivals+Tyrants", que anteciparam o novo álbum, "Requiem For a Society", agora disponível em versão física pela gravadora Dies Irae e disponibilizado nas plataformas de streaming. Rica (vocal), Fernão Carvalho (guitarra e baixo), Roberto Loureiro (bateria) iniciaram os trabalhos do material em janeiro e contaram com a colaboração de Alex Cavalcanti (guitarra solo), que substituiu Fernão em 1988 e tocou no álbum "A Mosh in Brazil" (1989). "Rica e eu passamos os últimos trinta anos sem exercer qualquer atividade relacionada à música. Nós paramos num mundo analógico e retornamos no digital. Trabalhar em 'Requiem For a Society' com o engenheiro de som Victor Barbosa foi um grande aprendizado e reconhecemos que isso facilitou muita coisa", analisou o baterista Roberto Loureiro.
 
A gravação, mixagem e masterização de "Requiem For a Society", que contou com arte a cargo de Alcides Burn (Burn Artworks), foram feitas entre março e julho no Estúdio Flames (RJ), com o engenheiro de som Victor Barbosa, que trabalha com o NervoChaos, é baterista do Agoniza e integrou bandas como Expose Your Hate, Sanctifier e Lord Blasphemate. "Os singles que lançamos antes foram uma prévia do álbum, que traz quase tudo que fizemos no passado e três músicas inéditas – 'Hell is Real', 'Katabasis' e 'Requiem For a Society', a faixa-título. Trata-se de uma ponte entre nosso passado e o que pretendemos para o futuro. Ficamos mais de trinta anos sem dar notícia e nossos vídeos deram uma boa repercussão, inclusive no exterior", observou o baterista. "O álbum conta com participações especiais de Marcos Dantas (Azul Limão) no solo em 'Cold Rules', de Paulão Vianna (Sodoma) no solo de 'Times of Crisis', de Sérgio Facci (Vodu) nos teclados de 'Disorder' e dos escoceses Sophie Fraser e John Fraser (Hand of Kalliach) nas vozes em 'Requiem for a Society'", acrescentou Fernão Carvalho.
 
O retorno do grupo, criado em meados da década de 80, se deu após a repercussão positiva do lançamento dos álbuns "Quo Vadis" (1988) e "A Mosh in Brazil" (EP, 1989) pelo selo chinês Awakening Records, em novembro de 2019. "O retorno oficial do Metralion se deu no fim de 2020. Posteriormente, Alex Cavalcanti, guitarrista que substituiu Fernão em 1988, entrou no projeto para ser o guitarrista solo", detalhou Fernão Carvalho. "O próximo passo, após o lançamento, é encontrar um baixista e um segundo guitarrista para podermos pensar em shows, sair em turnê. Claro, tudo conforme a pandemia permitir e dentro dos protocolos de saúde", concluiu o vocalista Rica.

Confira "Rivals+Tyrants" em https://youtu.be/lw1hnf7qPvs



Para adquirir a versão física de "Requiem For a Society", lançada pela gravadora Dies Irae com slipcase, pôster, adesivo e booklet de 12 páginas com letras e fotos inéditas, entre em contato através do e-mail (O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ) ou pelo whats +55 21 97003-5053 (Rica).
 
Repertório - "Requiem For a Society":
01 - War Heroes
02 - Rivals + Tyrants
03 - Life in Flames
04 - Empires
05 - Hell is Real
06 - Cold Rules
07 - Pigs of Law + Penury
08 - No Way Out
09 - Katabasis
10 - Disorder
11 - Times of Crisis
12 - Requiem For a Society
 
Ouça nas plataformas de streaming:
Spotify: https://is.gd/0Z2VSe
Deezer: https://is.gd/1A3Gs4
 
Discografia:
Quo Vadis (1988)
A Mosh in Brazil (EP, 1989)
Quo Vadis / A Mosh in Brazil (coletânea, 2019)
Requiem For a Society (2021)
 
Mídias sociais:
Instagram: instagram.com/metralion86/
Twitter: https://twitter.com/Metralion
 
Site relacionado:
https://diesirae.loja2.com.br/9900234-METRALION-Requiem-For-a-Society-CD-



Imprensa - ASE Music: http://www.asepress.com.br/music/

Vomit Bag Squad: temática de terror e ficção embala repertório do debut

O Vomit Bag Squad, formado no ano passado por Jhon França (guitarra, bateria e baixo, Cerberus Attack, Eskrota e Blasthrash) e Daniel Pacheco (vocal, Kultist, Farsa, ex-Cursed Slaughter), apresenta seu álbum de estreia, "Tales From the Bag". A proposta do duo, que musicalmente mescla thrash, death metal e punk/hardcore, tem como foco contar histórias de filmes de terror em suas letras. "Soulmates Beyond The Flesh", primeiro single que antecipou o lançamento do disco, foi inspirada no filme "Christine, o Carro Assassino" (1983), enquanto "Tomatoes of Death" traz uma temática que aborda o filme "O Ataque dos Tomates Assassinos" (1978).
 
"O repertório de 'Tales From the Bag' conta com dez músicas autorais e um cover de 'Stick in a Hole', do The Accused, com participações da Yasmin Amaral (Eskröta), Robson Dionisio (Toxic Carnage) e Marcelo Araújo (Cerberus Attack)", revela Daniel Pacheco, que dividiu a produção com Jhon França (Necronomicon Studio). "Yasmin Amaral, que compôs conosco a música 'Fear The Chainsaw', participa nos vocais principais de 'Anck-Su-Namun', enquanto Robson Dionísio em 'Satanico Pandemonium' e Marcelo Araújo no solo de guitarra de 'What a Piece'", acrescenta.
 
Confira o vídeo de "Soulmates Beyond The Flesh" em https://youtu.be/JwjT00JMm14

As composições do álbum, que contou com arte criada por Alcides Burn (Burn Artworks), foram feitas durante a quarentena, quase totalmente via internet. "Nós mesmos gravamos, produzimos, mixamos e masterizamos. Iríamos fazer apenas seis músicas, mas depois que enviamos o material para Armando Pereira, da Marquee Records, ele nos fez a proposta de lançar um full com 10 músicas e um cover. Aceitamos o desafio e o processo de composição rolou pela Internet", conta Daniel Pacheco. "O grupo tomou forma no período de lockdown. Comecei a compor e Daniel a escrever as letras. Fomos nos animando com o resultado, pois colocamos toda a nossa experiência de anos de estrada e, claro, nosso amor por filmes de terror", complementa Jhon França.
 
O nome Vomit Bag Squad veio de uma brincadeira da primeira vez que Jhon França foi tocar no Rio de Janeiro, em 2011. "Era a primeira vez que sairia do Estado de São Paulo para tocar. Bebi muito no dia anterior e algo deu errado. Assim, passei as seis horas de viagem com a cabeça para fora da van, vomitando tudo que tinha direito. Quando finalmente tive a ideia de pedir uma sacola pra alguém, para parar de sujar a van que estava nos levando e os carros da rodovia que não paravam de nos xingar, um amigo nosso, Marcello Kaskadura, olhando aquele motim de pessoas tirando sacola das bolsas com medo de eu vomitar neles, indagou: 'Vomit bag... Vomit bag squad'. Isso nunca mais saiu da minha cabeça", recorda Jhon França.
 
Além dos citados, a lista de filmes que serviram de inspiração para a temática de "Tales From the Bag" inclui "Um Drink no Inferno" (1996), "Frankenhooker: Que Pedaço De Mulher!" (1990), "O Massacre da Serra Elétrica" (1974), "A Volta dos Mortos Vivos" (1985), "A Múmia" (1999), "O Enigma de Outro Mundo" (1982), "Um Lobisomem Americano em Londres" (1981) e "Aliens, O Resgate" (1986).


 
Para ouvir o álbum, acesse https://youtu.be/1ozjTh8iPUw
 
Spotify: https://is.gd/i5T6o7
Bandcamp: https://vomitbagsquad.bandcamp.com/album/tales-from-the-bag
 
Contatos:
Facebook: www.facebook.com/vomitbagsquad
Instagram: @vomitbagsquad
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Imprensa - ASE Music: http://www.asepress.com.br/music

Cova Rasa: versão de 'I' do Black Sabbath ganha clipe

O Cova Rasa, formado por Jayme Danko (vocal e guitarra), Gustavo Fassina (guitarra), Aldo Assada (baixo), Dan Werneck (bateria) e Flavio Sallin (teclados), apresenta o videoclipe para a versão de "I", faixa do álbum "Dehumanizer", lançado em 1992 pelo Black Sabbath. "A nossa versão de 'I' saiu em uma coletânea lançada pela revista alemã Antichrist Magazine. Recebemos o convite, o que foi uma grande surpresa para nós, e aceitamos o desafio. Primeiro seria apenas o áudio, que ficou a cargo do Alexandre Russo (SoundLab Studio), mas decidimos gravar o vídeo", explicou o vocalista e guitarrista Jayme Danko. "Fazer a escolha para um tributo sempre é difícil, ainda mais se tratando de uma lenda como Black Sabbath, com vários clássicos. Achamos que a música 'I', cuja letra fala do individualismo, tinha a ver com a banda. Além disso, uma ponta de coincidência é que 'Dehumanizer' reuniu a mesma formação de 'Mob Rules' (1981) e neste clipe temos a reestreia do baixista Aldo Assada, que retornou à banda depois de cinco anos", acrescentou o tecladista Flavio Sallin.
 
Veja o clipe da versão de "I" (Black Sabbath) em https://youtu.be/sTMGs9cay18



O grupo agora se prepara para a gravação do sucessor de "Cruzando Infernos", que será o primeiro com letras em inglês. "Nós lançamos 'Lycan Blood', versão em inglês para 'Lobo Uivante', faixa do segundo álbum, 'Cruzando Infernos', e agora já temos todas as pré-produções finalizadas e as guias feitas. Nosso terceiro álbum, que levará o título de 'Another Time', está 100% composto, restando agora apenas arranjos para entrar no estúdio em dezembro e partir para a gravação", revelou Danko.
 
A produção de "Another Time" ficará a cargo do produtor, músico e professor de áudio e produção na EMT / School Of Rock, Alexandre Russo (SoundLab Studio). "Russo, um excelente profissional e ganhador do Grammy Latino em 2004, virou fã da banda. Então, foi feito o convite para que ele assumisse a produção. E escolhemos o título 'Another Time' porque é uma referência aos novos tempos que estamos mirando com a mudança do português para o inglês", concluiu Danko.

Sites relacionados:
facebook.com/covarasasp/
www.covarasa.com.br/
 
Contato: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.



 Imprensa - ASE Music: http://www.asepress.com.br/music

 

Yelza mostra sua mescla de Rock Brasil com hard e pop em novo clipe

A banda paulista Yelza, que surgiu em meio à pandemia para expressar sentimentos de angústia, alegria, medo, saudades e amor com sua música, apresenta o novo single e clipe para "É da Janela". "Surgimos em um dos momentos mais críticos e caóticos do mundo, com a intenção de mostrar que mesmo em momentos de crise e pandemia é possível expressar nossos sentimentos", declarou o vocalista Fefe Oliveira.
 
Formada em Itu (SP) por Fefe Oliveira e o guitarrista Raphael Veiga, a Yelza objetiva mesclar suas influências de Aerosmith, Led Zeppelin, Bon Jovi, Guns N'Roses com a fase do chamado Rock Brasil. "A ideia para a base de nossa musicalidade foi atrelar o rock nacional dos anos 80 com estilos como hard, pop, rock e AOR", explicou o vocalista.
 
Confira o videoclipe "É da Janela", feito em parceria com o canal Videonmusic, em https://youtu.be/Q3sAHAo42ck
 


"É da Janela", quarto single do Yelza, contou com participações da guitarrista Heloísa Olívio e de Carlos Augusto no baixo, do duo Rising Brothers, e do baterista Pedro Martin (Bohemian Rock - Queen Cover). "A música foi feita em parceria com Felipe Fontoura, que também é o produtor musical por trás de todas as outras canções da Yelza. Como gostamos de abordar letras que trabalham com a subjetividade, por mais que tenha um foco inicial, em 'É da Janela' você pode imaginar que é uma pessoa com saudades de um relacionamento antigo ou então imaginar que é uma pessoa prestes a cometer um suicídio. Gostamos de deixar esse leque no ar para que o ouvinte tire sua própria conclusão, baseado em sua própria vivência", concluiu o vocalista.
 
Canais oficiais:
Instagram: @yelzaband
Facebook: /YelzaBand
Spotify: Yelza
 
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Imprensa - ASE Music: http://www.asepress.com.br/music

 

Nite Stinger lança novo single, 'That Feeling'

Após fazer sua estreia apresentando o videoclipe da faixa "Gimme Some Good Lovin'", o Nite Stinger, formado por Jack Fahrer (vocal), Roger Benet e Bruno Marx (guitarras), Bento Mello (baixo) e Ivan Busic (bateria), apresenta "That Feeling", segundo single do álbum de estreia, "Nite Stinger", previsto para ser lançado em 15 de outubro. "A música 'That Feeling' fala sobre algo que nos faz sentir bem e passar dos limites. O interessante é que cada um se identifique com suas experiências. Pode ser desde um amor, um encontro casual, uma noitada com muito 'sex,  drinks and rock'n'roll', ou aquilo que faz mais a cabeça de cada. Afinal, 'We really like that feeling'", explicou o vocalista Jack Fahrer. "Dentre as 11 faixas do repertório de nosso primeiro álbum, 'That Feeling' tem um dos meus solos favoritos! Acredito que a grande característica dos solos marcantes, são aqueles que todos podem cantar. Começo o solo sempre na cabeça, achando uma melodia, algo marcante, muitas vezes sem a guitarra na mão e a partir disso, vou desenvolvendo", acrescentou o guitarrista Roger Benet.

Ouça o single "That Feeling" em https://youtu.be/ROc8c_d5Owg
 


Sobre a arte de capa do debut, a cargo de Giuliano Laruccia, o baixista Bento Mello revela que ela foi trabalhada em cima de uma foto clicada por Jack Fahrer. "A capa tem até a ver com algumas músicas e com o próprio nome da banda, formada por pessoas que saem de casa, curtem viver a vida, estão sempre nos shows, bares e vivem a noite. Queríamos algo que pudesse representar tudo isso, ainda que estejamos passando por esta pandemia. Encontramos o neon do escorpião, que tem tudo a ver, e Jack sugeriu uma foto que ele mesmo fez em Nova York. Ela mostra um beco, que pega aquela parte dos fundo comum dos estabelecimentos noturnos. Combinou com o que queríamos, porque tem a ver com o som e a proposta do Nite Stinger", concluiu Bento Mello.

O álbum "Nite Stinger" sairá em formato físico no Brasil pela Animal Records e na Europa pela Steelheart Records. Já a Canil Records fará o lançamento no formato digital.

Confira o repertório de "Nite Stinger":
01- Gimme Some Good Lovin'
02- You Want It, You Got It
03- Hell Is Getting Higher
04- By Your Side
05- Let Me In
06- Heading Out
07- That Feeling
08- Hot But Trouble
09- Saturday Night
10- Crank It Up
11- Beat It (bônus)

Streaming - "That Feeling" - https://song.link/jrwkmnft3ndhp

Veja o videoclipe de "Gimme Some Good Lovin'", dirigido por Rodrigo Barth, em https://youtu.be/lSOGIhE85UU

Mídias Sociais (@nitestinger):
Facebook: https://www.facebook.com/nitestinger
Instagram: https://www.instagram.com/nitestinger/
 
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.



Imprensa - ASE Music: http://www.asepress.com.br/music

 

H.E.A.T: brasileiros fazem homenagem a Erik Grönwall

O vocalista Jay Roxx (Sixty Nine Crash) teve a ideia de agrupar músicos e amigos para prestar uma homenagem e enviar mensagem de apoio e positividade para o vocalista Erik Grönwall, que vem tratando de leucemia e, enquanto promovia o seu sexto álbum de estúdio, "H.E.A.T II", anunciou sua saída da banda sueca. "Conheci Erik pessoalmente quando fui para a Suécia em 2015. Ele foi muito gente boa, uma energia gigantesca, cheio de vida e transmitindo alegria. E aí pensei: 'Gosto para caramba do H.E.A.T, conheci o cara e quero deixar registrada esta homenagem do Brasil para ele através desta collab da música 'Victory', que foi produzida por Chili Vega, mixada e masterizada por Celo Oliveira (Fleesh)", explicou Jay Roxx. "Quando veio o convite do Jay, recebi como se fosse uma convocação – para essas coisas você nunca diz 'não'! Fazer parte de um collab com grandes músicos da cena hard, amigos, tocando uma das minhas bandas prediletas e mandando uma mensagem de apoio para Erik Grönwall. Fiquei feliz com o resultado e gostaria muito de fazer outros com a grandeza deste", acrescentou Reichhardt, guitarrista do Dirty Glory, que recentemente lançou o segundo álbum, "Miss Behave".
 
Confira o vídeo collab de "Victory" (H.E.A.T), com o vocalista Jay Roxx (Sixty Nine Crash), Reichhardt (Dirty Glory) e Chili Vega nas guitarras, Edu Lucena (ex-Velhas Virgens e Swingfire) no baixo, Tilly (Silent) na bateria e Bruno Sá (Geoff Tate, Angra, Allegro) no teclado em https://youtu.be/8dc46diSp5I



À época da saída de Grönwall do H.E.A.T, os fãs ficaram sem entender direito, uma vez que o álbum vinha obtendo boas críticas e a banda já havia iniciado a turnê de promoção, tendo sido uma das atrações do "Monsters of Rock Cruise". Edu Lucena, ex-baixista do Velhas Virgens e Swingfire, pôde ver a banda ao vivo e se sente mais realizado com esta reaparição tocando depois de muito tempo. "Voltar a aparece como músico em uma collab que homenageia Erik Grönwall é, de fato, empolgante. Pude vê-lo no ano passado detonando ao vivo com o H.E.A.T e foi um dos melhores shows do 'M.O.R.C.'. Não estou falando isso porque gravamos a 'Victory', pois o H.E.A.T com ele ao vivo foi uma unanimidade naquele cruzeiro de hard rock. O Ricardo Batalha, que tocou comigo no Swingfire e com o qual dividimos bons momentos apresentando o programa RMH, também apontou o H.E.A.T como melhor show. Quem viu a energia de Erik ao vivo sabe o que estou falando", comentou Edu Lucena.
 
Já o experiente tecladista Bruno Sá (Geoff Tate, Angra), revela a conexão com Ilton Nogueira, do Allegro. "Quando o vocalista Ilton Nogueira quis retornar com a nossa banda, Allegro, eu sabia que aquilo seria um sopro de vida em sua luta contra o câncer. Quando recentemente eu passei semanas no CTI lutando contra o Covid-19, foi também a música, tocando 24h por dia em meus fones de ouvido, que meu deu a energia, o foco e a motivação para sair daquela situação. Então, quando Jay Roxx me convidou para essa homenagem ao Erik, de forma a retribuir o quanto sua música nos alimenta, eu prontamente aceitei. A música salva!", enfatizou.
 
Mídias sociais/Instagram:
@jayroxx_
@a_rei
@dirtyglory_official
@silentband
@eduardoamaraldelucena
@brunosamusic
@chilivegamusic
@cel_o_liveira

 

 

Faces of Death: confira a performance de 'Live Rehearsal - A Drink With The Death'

Após lançar vídeos e participar de festivais online, como 'Roadie Crew Online Fest', 'Metal no Vale Fest', 'Metal com Batata Fest', 'Strenght Metal Fest', 'Resenhando Rock' e 'Setfire Metal Fest', para promover o mais recente álbum, "Usurper of Souls", o Faces of Death agora apresenta "Live Rehearsal - A Drink With The Death", um vídeo que conta com a performance da banda em uma sala de ensaio, mesclado a depoimentos dos integrantes. "A ideia de fazer um vídeo mesclando ensaio ao vivo e depoimentos surgiu quando estava assistindo ao vídeo do Sepultura, 'Under Siege - Live in Barcelona'. Como ainda as coisas estão confusas e difíceis para quem trabalha com música no Brasil por causa da pandemia, decidimos fazer esse vídeo para preencher um pouco esse vazio e a falta de shows", explicou o vocalista e guitarrista Laurence Miranda. "Como todas as bandas, claro que queríamos ter feito muitos shows para mostrar 'Usurper of Souls' nos palcos, mas traduzimos esta vontade quando nos reunimos no Audio Lab Extreme Studio, em Taubaté (SP)", acrescentou o baixista Sylvio Miranda.

Veja o vídeo em https://youtu.be/CpNlj0vy1Zg



Produzido pela banda e por Niko Teixeira no Audio Lab Extreme Studio, em Taubaté (SP), o material teve arte de capa criada por Alcides Burn e a intro em animação Wanderley Perna. "Nós iríamos disponibilizar somente o vídeo em nosso canal do YouTube, mas a gravação ficou tão brutal que decidimos lançar também em formato físico, que em breve estará disponível", revelou o guitarrista Felipe Rodrigues.

Em "Usurper of Souls", produzido por Friggi Mad Beats e masterizado na Absolute Master, Laurence Miranda (vocal e guitarra), Felipe Rodrigues (guitarra), Sylvio Miranda (baixo) e Sidney Ramos (bateria) mesclam thrash e death metal. O sucessor de "From Hell" (2018) está disponível nas plataformas de streaming e também em formato físico. Ouça o álbum nas plataformas de streaming em https://facesofdeath.hearnow.com/
 
Mídias sociais: @facesofdeath
Facebook: https://www.facebook.com/FacesofDeathBand
 
Para adquirir a versão física do álbum "Usurper of Souls" e a nova camiseta da banda, entre em contato através do e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.



Imprensa - ASE Music: http://www.asepress.com.br | O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Programa Bússola estreia sábado (25) na Rádio Brasil Atual (98,9 FM)

Clemente Nascimento, Paul Martins e Marcel Costa se tornaram grandes referências no impulsionamento de bandas e artistas da nova safra do rock brasileiro. São três gerações de músicos e comunicadores apresentando boa música, bate papo, irreverência e um panorama do mercado do rock brasileiro. A ideia do programa Bússola surgiu da necessidade de dar mais vazão ao som das inúmeras bandas emergentes de rock brazuca que buscam mais espaço na mídia. "Atualmente são mais de dez mil bandas e um cenário pulsante neste novo momento do rock brasileiro. Além dos novos talentos, o Bússola veiculará bandas do rock nacional que fizeram, e fazem sucesso, influenciando toda uma geração de rockeiros. O programa também norteia os ouvintes que consomem este gênero com informações, novidades e participações especiais em todas as edições", revelou Paul Martins, guitarrista e radialista que comanda o programa Autoral Brasil (Rádio Kiss FM), Kiss Club (Rádio Kiss FM) e Autoral Brasil USP FM (Rádio USP 93,7 São Paulo e Ribeirão Preto).
 
"Entendemos que há necessidade de mais programas em rádios de todo o país para dar suporte às novas bandas e artistas brasileiros. Além disso, O Bússola tem como maior valor, traçar um panorama cultural do que está acontecendo no Brasil e no mundo, sempre pautado em uma trilha sonora com o melhor do estilo produzido em terras tupiniquins", observou Clemente Nascimento (Inocentes, Plebe Rude), guitarrista, vocalista, produtor musical e apresentador dos programas Estúdio Showlivre e Filhos da Pátria (Kiss FM).
 
"Costumamos dizer que se você acha que o rock está velho e que só as bandas do passado são relevantes, nós vamos dar uma direção neste universo tão amplo e efervescente, onde diariamente surgem novas bandas, conceitos e sonoridades", concluiu Marcel Costa, jornalista, músico, produtor cultural, roteirista e apresentador, que ao lado de Paul Martins, apresenta os programas Autoral Brasil (Kiss FM) e Autoral Brasil USP FM (Rádio USP FM).
 
Em todas as edições o programa também conta com participações de personalidades e players do universo rock'n'roll com dicas e assuntos relacionados ao gênero. Rodrigo Branco (Kiss FM) e Ricardo Batalha, redator-chefe da revista Roadie Crew, estão entre eles.
 
O programa também tem cunho colaborativo do ouvinte, ou seja, você pode enviar sugestões, ideias, músicas e release da tua banda, além de assuntos relevantes do universo do rock brasileiro através da BIO no perfil do Instagram, @bussolarock.
 
SERVIÇO - Programa: Bússola:
Veículo: Rádio Brasil Atual (98,9 FM - Grande São Paulo; 93,3 FM - Litoral Paulista; 102,7 FM - Noroeste Paulista)
Quando: Sábados, das 20h às 22h
Produção e Apresentação: Clemente Nascimento (@clementetadeu), Paul Martins (@paulmartinsfm) e Marcel Costa (@marcelcostafm)
Participações: Ricardo Batalha (@ricardo_r_batalha) e Rodrigo Branco (@rod_branco)
Instagram: @bussolarock

Ouça também pelo site www.redebrasilatual.com.br/radio/

 

 

 

Visit fbetting.co.uk Betfair Review